segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A Serpente da Eternidade.

Hoje é dia de celebrar a Deusa Ananta. Uma serpente de mil cabeças que representa o tempo cósmico.

É chamada de “a serpente da eternidade” simbolizando a “ausência de tempo”.

Conta a lenda que na história da criação hindu, após o primeiro ciclo e antes da criação do seguinte, Narayana, que significa o homem eterno, dormiu numa cama que era a própria serpente Ananta Sesha.

A função dessa serpente era sustentar o mundo e tudo o que nele se manifestasse. Por isso, entre o fim de um ciclo e antes do começo de outro, ela guardava as almas deixadas do ciclo anterior que precisariam de mais oportunidades para se regenerar.

A cama-serpente ficava flutuando sobre as águas do oceano enquanto Narayana adormecido sonhava com a próxima criação. Num dado momento, uma flor de lótus nasce do seu umbigo e sentado nela, o Deus Brahma. Quando acorda, Narayana orienta Brahma sobre como proceder ao ato da criação.

Ananta em sânscrito significa “infinito” e Sesha, o nome dado ao que é deixado como semente para a próxima criação. Sesha é o sono divino enquanto Ananta, o divino despertar de Brahma.
Hoje é um bom dia para refletir sobre sonhos e desejos. E principalmente no que se refere ao seu despertar para realizá-los.

A imagem veio daqui.

As Graças, da Caridade.

Hoje é dia de um festival chamado Caristeria. Era realizado tanto na Grécia quanto em Roma.

É uma festa com oferendas e agradecimento às deusas da caridade, as Graças.

As Graças eram as deusas da dança, dos modos e da graça do amor. Habitavam o Olimpo em companhia das Musas e com elas formavam coros.

Filhas de Zeus e Eurínome, as Graças foram também companheiras e aias de Afrodite, Vênus, onde cuidavam dos cabelos e das roupas da Deusa do Amor.

As Graças eram três e se chamavam Tália, a que traz flores, Aglaia, a que brilha e resplandece, e Eufrosine, a alegria do coração.

Deusas da Caridade, elas representavam as doações, os dons ou as graças que vinham do céu e das estrelas.

Também chamadas de Ninfas celestes, eram parteiras dos deuses, padroeiras da arte, da música, da poesia e da dança.

Dessas deusas herdamos as expressões “ficar em estado de graça” e “graças à Deus”.

Aproveite o dia de hoje para dar graças por tudo que tem recebido. Pratique uma boa ação, faça algo de bom para alguém que realmente precise.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

domingo, 29 de agosto de 2010

A Pureza dos Lírios.

O Lírio é uma flor citada com freqüência na Bíblia e os judeus decoravam seus primeiros templos com lírios, que simbolizavam simplicidade e pureza.

No cristianismo, o lírio representa também além da pureza, castidade e sofrimento. Acredita-se que Eva chorou quando deixou o Jardim do Éden e suas lágrimas ao tocarem o chão, se transformavam em lírios.

Nos países católicos, essa flor é símbolo da Virgem Maria, e na Páscoa, um símbolo de ressurreição. Alguns santos católicos são retratados segurando lírios, como por exemplo, São José, Santo Antonio, Santa Rita de Cássia, dentre outros.

Observai os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam (Mateus, 6, 28). Ainda sob a tradição bíblica, o lírio é sinônimo de uma escolha feita, de um eleito. Eles estão nas mãos de Deus. Eles simbolizariam o abandono místico à graça de Deus.

Muitos vêem o lírio como o equivalente ocidental para a flor de lótus, sagrada no Oriente. No Japão e na China, o lírio é considerado uma flor que tem o poder de diminuir a dor da perda e as mulheres em luto a costuravam em seus cintos.

A mitologia conta que Zeus, em um de seus envolvimentos com mortais, gerou Hércules. Tendo se afeiçoado a ele, Zeus quis que ele fosse imortal. Para que isso acontecesse, esperou que sua esposa Hera adormecesse e o levou para ser amamentado por ela sem que fosse percebido. Mas Hércules sugou o leite com tamanho ímpeto que este continuou jorrando mesmo depois de ter saciado a criança. Do leite que foi derramado no céu, surgiu a Via Láctea e, o que caíra sobre a terra, surgiu o lírio.

Também segundo a mitologia, foi colhendo um lírio que Perséfone foi raptada por Hades.

A simbologia dos lírios está também numa das cartas do baralho cigano, a de número 30. Num jogo ela representa além da pureza, verdade e franqueza, virtudes e bons dotes morais. Ela nos ensina que em meio às grandes adversidades da vida, ainda é possível encontrar a paz interior e buscar o que há de melhor em nós.

E aqui vai uma dica desta carta: quando sentir que um ambiente está negativo, coloque lírios nele pois esta flor é capaz de transmutar essa energia tornando-a pura e positiva.

A imagem 1 veio daqui.

sábado, 28 de agosto de 2010

Ganesha, Deus dos Obstáculos.

É um dos Deuses mais populares da Índia. Essa divindade com cabeça de elefante, é conhecida por sua capacidade de transpor qualquer obstáculo.

Ganesha é o símbolo da abundância e do conhecimento sagrado. É também aquele que traz a alegria para as famílias.

É o primeiro filho de Shiva, matéria, e Parvati, energia. Conta a lenda que quando eles se encontraram, nasceram Ganesha, o som, e Skanda, a luz.

Mas em outra versão, Parvati teria concebido sozinha Ganesha. Shiva estava no Himalaia meditando enquanto a esposa moldou o filho a partir do barro para que lhe servisse como guardião.

Um dia Parvati pediu à Ganesha que não deixasse ninguém entrar no palácio enquanto ela tomava banho. Só que Shiva chegou mas, apesar de serem pai e filho, ambos não se conheciam. Ganesha bloqueou a entrada de Shiva e eles travaram uma luta. Ganesha derrotou todos os demônios do pai e mais uns outros. Shiva então o decapitou findando a luta.

Quando Parvati descobre ameaça explodir o mundo e Shiva sai em busca de uma cabeça. Promete trazer a cabeça do primeiro ser que encontrasse dormindo que não fosse para o norte. E encontra um elefante.

A colocou então no menino e o ressuscitou. O reconheceu como seu filho lhe dando o nome de Ganesha, que significa o Senhor dos Exércitos.

Ganesha abre os caminhos, afasta os obstáculos. É invocado sempre quando se vai iniciar um empreendimento ou iniciar uma viagem, um casamento e até mesmo a construção de uma casa.

Também é conhecido como destruidor da vaidade, do egoísmo e do orgulho. Possui 4 braços: mente, intelecto, ego e consciência condicionada. É o símbolo daquele que descobriu a divindade dentro de si mesmo.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Bast, a Deusa Gato.

Hoje é celebrado no Egito a Deusa Solar com cabeça de gato.

Também chamada de Bastet, ela era guardiã das casas, defensora de seus filhotes e representava o amor maternal.

Era uma deusa amante da música, da dança e principalmente da alegria.

O Templo de Bast mantinha gatos que quando morriam eram embalsamados numa grande cerimônia. E se alguém matasse um gato, recebia sentença de morte. Para os Egípcios, ele era um animal sagrado e inteligente.

O gato preto, por exemplo, era especial ter um em casa. O símbolo desse animal era utilizado até pelos médicos egípcios pois anunciava o poder de cura que esse profissional trazia.

Nas sociedades primitivas era comum o homem endeusar animais. Na realidade, o homem era dominado pelo mundo que o cercava. Como ele não tinha conhecimento temia a tudo. Mas com o passar dos tempos ele foi adquirindo experiência e aprendendo não só a enfrentar as forças da natureza mas também a interagir com elas.

Seus deuses passaram por um processo de transição. Abandonaram a forma animal e assumiram a humana. No caso dos egípcios, a Deusa Bast é um exemplo. Os aspectos da natureza, do animal e do homem estavam interagindo numa divindade.

Bast estava associada aos poderes criativos do Sol e também à Lua, no seu aspecto escuro representando a Lua Nova. Ela retribuía com vingança todos aqueles que matavam seus protegidos, os gatos. E tinha como inimiga, as serpentes. Era também considerada Deusa do fogo, da fertilidade e da intuição.

Nas várias civilizações da história, o gato assumiu múltiplos significados. Na tradição Celta, por exemplo, ele teria nove vidas. Mais tarde, na Idade Média, passou a ter apenas sete vidas. Era associado também ao mundo da magia e das bruxas. Mas na Cabala e no Budismo, ele representava sabedoria, prudência e vivacidade.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio
daqui.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Planetas por Dia da Semana.

Você sabia que cada dia da semana é regido por um planeta? Confira abaixo essa influência.

A Segunda-feira é regida pela LUA. Pertence ao elemento água. É uma energia que favorece a paz, o sono e até a cura. É um dia propício, por exemplo, para cortar de nossas vidas algo que esteja nos fazendo mal. É um dia que está relacionado à família, ao lar. À nossa fortaleza interior. Contatar os amigos faz muito bem nesse dia. É um bom dia para dar conselhos às pessoas. A cor é Branca. Palavra-chave: Eu anseio.

A Terça-feira é regida por MARTE. Na mitologia o Deus da Guerra. É um ótimo dia para tratar de assuntos que vamos enrolando para não fazer. Esse dia nos dá coragem para resolver brigas, embates, mas de forma civilizada, claro. Para absorver a energia desse dia, vista algo vermelho. Essa energia favorece a paixão, o relacionamento amoroso, a coragem, o ataque e a proteção. A cor é Vermelha. Palavra-chave: Eu quero.

A Quarta-feira é regida por MERCÚRIO. Na mitologia ele é Hermes, aquele que tem asas nos pés e trabalha como mensageiro do Olimpo. Tudo a ver com comunicação. Pode-se dizer também que é uma energia voltada para troca e negociação. Este planeta nos dá uma mente consciente, nos ajuda nos estudos, nas viagens, e até no nosso poder de adivinhação. Este dia pode lhe conferir habilidade no que desejar fazer. A cor é Violeta. Palavra-chave: Eu projeto.

A Quinta-feira é regida por JÚPITER, o Deus dos Deuses. Aliás, ele é o maior dos planetas. Representa a força, o poder, a prosperidade e a propriedade. Mas não é egoísta. Pelo contrário, nos proporciona atos de generosidade. Essa energia favorece a expansão, o dinheiro, e tudo o mais que você escolher fazer para o dia de hoje. Faça com vontade sem se preocupar com os limites. A cor é Azul. Palavra-chave: Eu consigo.

A Sexta-feira é regida por VÊNUS. A Deusa do Amor na mitologia. É o planeta da atração instintiva, a simpatia, a harmonia e a doçura. Essa energia favorece o amor, a amizade, a reconciliação e a beleza. Favorece também as uniões de todos os tipos. É o planeta que rege as mulheres e a arte. A cor é Verde. Palavra-chave: Eu gosto.

O Sábado é regido por SATURNO. A energia desse planeta favorece a longevidade além da racionalidade e da perseverança. Para tomada de uma decisão, a melhor cor é o preto. Mas Saturno também rege o misticismo. Pense no bem estar da humanidade. É um dia indicado também para se fazer magias de proteção com elementos naturais. A cor é preta. Palavra-chave: Eu disciplino.

O Domingo é regido pelo SOL Na mitologia é Hélio. A energia desse dia favorece a cura, a espiritualidade, o sucesso e a força pessoal. Também é indicado para se fazer atividades físicas e espirituais, tais como assistir a uma missa, um culto, um ritual ou uma boa meditação. É um dia de alegria. A cor é Amarela. E a palavra-chave: Eu brilho.

As imagens vieram daqui.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Virgem e os Mistérios.

Estamos no período astrológico regido pela constelação de Virgem. A energia que emana dela auxilia a conexão com o nível mais elevado.

No passado remoto, essa energia potencializada por Vênus, fez com que desabrochasse na Terra a sabedoria dos Mistérios Elêusis.

Os Eleusinos, como também eram chamados, eram os mais famosos e os mais antigos de todos os mistérios da Grécia. E todos aqueles que iam em busca deles lhes eram desvelados o valor implícito de todas as coisas.

O símbolo de Virgem está associado à floração das colheitas. Lembrando, esse mês de agosto é pura colheita. Geralmente as pessoas têm a sensação de que é um mês demorado, arrastado mas tudo pode estar ligado à carga simbólica da colheita.

Na época da colheita e do enceleiramento, em que o resultado é pesado e calculado, nos deparamos com um mundo que se diferencia, se particulariza, e determina para si limites precisos. Trata-se de uma disposição geral de reter, controlar, disciplinar-se. Mas sobretudo de um caráter sério, trabalhador, voltado para as coisas difíceis visando muitas vezes a satisfazer um sentimento de segurança.

Mas este é um sinal positivo para Virgem, a alegria do trabalho realizado, embora árduo. E é Virgem quem traz o que é necessário para que os projetos se frutifiquem.

Sua representação é a de uma virgem alada segurando um molho de trigo. Pois tem a ver com o ciclo vegetal que se completa numa terra nova, virgem, e que é destinada a receber a semente mais tarde.

Para a evolução da Terra, essa constelação é o principal núcleo que irradia vibrações cósmicas. É o sexto signo do zodíaco e o signo da Deusa egípcia Ísis.

Simboliza a consciência emergindo da confusão. Pode-se dizer, que se equipara ao nascimento da espiritualidade.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Hahaiah, o Anjo da Resistência.

O dia de hoje é regido pelo Anjo Hahaiah. Sua função é nos dar firmeza, força, coragem.

É um Anjo invocado para atuar contras os adversários. Ou contra àquelas pessoas que se aproximam de nós com o intuito de querer quebrar a nossa paz, a nossa resistência.

Ao mesmo tempo, é um Anjo que nos proporciona sonhos notáveis. Abre para nós os portais dos mistérios divinos. Faz-nos transcender.

Hahaiah vem à Terra com a missão de fazer com que as pessoas estudem e atinjam o conhecimento através dos livros.

Os anjos são criaturas celestiais. Geralmente têm asas de pássaro e uma auréola. Muitas vezes são representados como uma criança para indicar inocência e virtude.

Para os anjos da tradição judaico-cristã, os anjos são mensageiros divinos. Para o espiritismo, não são muito diferentes. São seres perfeitos que atuam como mensageiros dos planos superiores. Para os muçulmanos, há anjos bons e anjos maus, além dos que possuem traços ambíguos. No hinduísmo e no budismo, são descritos como seres auto-luminosos mas dotados de corpos densos e capazes de comer e beber.

Hahaiah é da categoria Angélica dos Querubins, chefiada pelo Arcanjo Raziel.

O número de sorte para hoje é 5.

O salmo é o de número 9 destinado às pessoas que precisam de um desvencilhamento judicial, auxílio contra opressão e justiça, encontrar-se na vocação ou para resolver doenças incuráveis.

Peça a este anjo ajuda na sua determinação, firmeza, propósito. Ele te sustentará para seguires adiante.

A imagem veio daqui.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Nêmesis, a Deusa do Destino.

Hoje é o primeiro dia do Festival de Nêmesis. A deusa grega encarregada do destino.

Era também chamada de deusa da Retribuição. Era ela quem distribuía a sorte e a justiça uniformemente.

Nêmesis castigava com severidade todos cuja inteligência encontrava-se perdida pela arrogância e pelo orgulho. Assim como perseguia aqueles que gozavam de uma excessiva felicidade.

Como era uma criatura da noite, era responsável pelas Fúrias. As Fúrias eram três deusas vingativas que faziam o transporte das almas dos pecadores mortos para o Tártaro, região em que se aplicavam os castigos no mundo inferior.

Segundo a mitologia, para fugir das investidas de Zeus, Nêmesis se metamorfoseou em gansa. O deus se transformou em cisne e a ela seu uniu. Dessa conjunção, Nêmesis pôs um ovo e o escondeu num bosque sagrado. Um pastor o encontrou e o deu à Leda. Guardado num cesto, a seu devido tempo, nasceu Helena, a mulher de beleza fabulosa e por quem heróis e reis lutavam e guerras eram travadas.

Nêmesis também se tornou uma deusa dos esportes. Em Roma, era homenageada nas pistas de corridas.

O nome Nêmesis significa distribuir, dividir, tomar, receber legalmente. Os atributos dessa Deusa eram um ramo de macieira, rédeas, um chicote, uma espada e uma balança.

Hoje é um dia propício para mentalizar a resolução de qualquer problema. Um incenso de ópio e um novelo de lã já fazem um ritual. Após acender o incenso, vá enrolando em seus dedos a lã e pedindo à deusa que desembarace a parte da sua vida que está confusa. Peça a ela para mostrar-lhe a solução. Ao terminar de enrolar, a guarde próxima ao incenso. Repita esse ritual por três dias que é o tempo de duração do Festival. A intenção é que Nêmesis desembarace a sua vida. Boa sorte!


A imagem veio daqui.

domingo, 22 de agosto de 2010

Nu Kua, a Criadora.

Hoje é o dia de Nu Kua. Deusa chinesa responsável pela criação da humanidade.

Seu irmão e companheiro chama-se Fu Xi. Eles são adorados como sendo os primeiros antepassados dos seres humanos.
Conta a mitologia que há muito tempo houve um dilúvio e os únicos sobreviventes foram Nu Kua e Fu Xi. Quando as águas abaixaram eles haviam se transformado num casal de serpentes com cabeça de humanos. E teriam tido como filhos as plantas e os animais do mundo.

Ainda de acordo com a lenda, Nu Kua foi quem modelou os primeiros homens. Ao se ver entediada com esta tarefa, pegou uma corda, a molhou na argila úmida e a sacudiu sobre o chão. Nasceram dalí duas classes de seres: os nobres, que foram modelados e os camponeses, que surgiram das gotas.

Depois Nu Kua fundiu várias pedras multicolorias e consertou a abóbada celeste.

Quando suas tarefas acabaram, a deusa se refugiou no céu, de onde observa e controla as ações dos homens, e inspirando as mulheres em suas atividades com argila.

Se você tiver argila, modele um boneco e dê a ele coração e mente fraternos. Imagine que você está moldando o primeiro homem da face da terra e do qual todos os outros se inspirarão.
A imagem veio daqui.

sábado, 21 de agosto de 2010

Consuália, Festa da Colheita.

Hoje é dia do Festival da Colheita, chamado de Consuália. Era realizado todos os anos pelos antigos romanos para celebrar a estocagem da nova safra.

Quem regia este Festival era Consus, o Deus do Armazenamento. E o seu templo ficava numa caverna subterrânea.

Durante o ano todo esse santuário ficava coberto com terra que só era retirada no dia de hoje.

O altar de Consus ficava no chamado Circo Maximo. Flâmine Quirinal, um sacerdote, era quem retirava a terra e oferecia ao Deus um sacrifício. Seguiam-se então as oferendas das primeiras frutas colhidas. E as Vestais, sacerdotisas, também ofereciam grinaldas de muitas flores à Consus.

Depois, tinha início as famosas corridas de cavalos.

Como o Deus Marte era protetor da colheita, também era homenageado no festival. Assim como os deuses Lares, que eram cultuados dentro das casas e protegiam a família.

Hoje é um bom dia para avaliar a sua “colheita”. Afinal, já estamos no mês oito. O que foi que você plantou e o que está colhendo agora. Quais as suas expectativas? Suas metas estão cumprindo o caminho desejado? Medite sobre o que é possível ser feito para erradicar as ervas daninhas que atrasam a sua colheita e aproveite para fortificar aquelas mudinhas chamadas de esperança. Mas celebre os frutos maduros já colhidos e agradeça a todos os deuses e deusas por eles.

A imagem 1 veio daqui.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A Aeronáutica e os UFOs.

Na semana passada, o governo brasileiro deu mais um passo em relação à ufologia no país. Publicou uma Portaria que regulamenta o registro de avistamentos de Ovnis, (Objetos Voadores Não Identificados), no espaço aéreo brasileiro, assim como o seu arquivamento e posterior envio para o Arquivo Nacional, para consulta aberta ao público.

Ou seja, todos os avistamentos a partir de agora não serão mais arquivados em caráter sigiloso. Estarão à disposição do público brasileiro.

Paralelo a isso, foram liberados também semana passada arquivos secretos da Aeronáutica cujos prazos de sigilo já tinham sido vencidos, inclusive os da década de 90. O Governo do presidente Lula havia reduzido pela metade, em 2005, esse prazo de arquivamento dos documentos de caráter sigiloso.

São quatro as categorias de arquivos sigilosos: Reservado, fica em sigilo por um período de 5 anos; Confidencial, por 10 anos; Secreto, por 20 anos e Ultra-Secreto, por 30 anos.

Em 2004, uma comissão de ufólogos organizou uma campanha chamada UFOs: Liberdade de Informação Já, que visava cobrar das autoridades a liberação desses documentos. A Campanha ainda está em curso e vem tendo êxitos. Já foram liberados documentos das décadas de 50, 60, 70, 80 e agora 90, cujos prazos já venceram.

Dentre os arquivos já liberados, por exemplo, há reproduções de conversas travadas entre os pilotos e a torre de comando do tráfego aéreo. Uma delas diz respeito a um episódio que aconteceu em maio de 1977 quando um funcionário da torre descreveu a trajetória de um Ovni à um piloto da FAB: “Ele veio do setor norte de Brasília, sobrevoou o Palácio da Alvorada, a Esplanada dos Ministérios. Agora, deve estar sobre o aeroporto. Confirme se avista”. Ao que o piloto da FAB confirmou: “Positivo, estou avistando, mas está muito alto. Uma luz azul se deslocando”.

Os documentos secretos sobre os Ovnis mostram ainda que não foram só os militares que acreditaram ter visto Ufos, mas também empresários, fazendeiros, dentistas, estudantes, pedreiros entre outros.

A grande expectativa é que documentos relativos ao Caso Varginha, ocorrido em 1996, também sejam liberados.

A Aeronáutica está colaborando abrindo seus arquivos secretos. No entanto, a Marinha, quando solicitada a abrir os seus, diz que não possui informações sobre esse assunto. E o Exército, apesar de confirmar que possui documentos sobre o Caso Varginha, diz que tais documentos estão em posse da Justiça Militar.

De qualquer forma, para os ufólogos, as medidas adotadas pelo governo brasileiro irão facilitar a comprovação da existência de vida extraterrestre.

Confira agora uma matéria que saiu no Fantástico, da Rede Globo, sobre o avistamento de Ovnis em maio de 1986. Clique no logo do Youtube.


Fontes: Marco Petit e Revista UFO.
A imagem 1 veio daqui.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Festival da Vinália.

Hoje é dia de um festival romano chamado Vinália, realizado em agradecimento à deusa Vênus pela boa colheita das uvas.

Vênus é a deusa do Amor, mas é também o nome de uma variedade de uva sem sementes, de sabor aframboesado, que chega a ter dois ciclos anuais, diferente das outras uvas.

No Mundo Antigo, a videira era considerada uma árvore sagrada. O vinho então, uma bebida divina. Baco era o Deus do Vinho, Dionísio na mitologia grega.

O vinho era chamado de “portador da alegria” e não podia ser usado em celebrações à deuses infernais, relativos aos mortos ou ao submundo, pois era uma alegre bebida dos vivos. Mnemosine, deusa da Memória, e suas filhas, as Musas, ninfas das ciências e das artes, também estavam proibidas de tomar esta bebida pois ela perturba a memória.

Para os cristãos o vinho simboliza o sangue de Cristo na Sagrada Comunhão. Em uma passagem bíblica Jesus diz: “Eu sou a verdadeira videira”. E se você reparar na decoração das igrejas lá estará uma videira pintada nas paredes ou nos desenhos dos vitrais. A começar pela alegoria de Adão e Eva.

Para os Sumérios, povo que habitou a baixa Mesopotâmia, o signo que representava a vida era uma folha de videira.

Sonhar com vinho tem conotação Superior, divina. Representa um bem cultural em relação a uma vida interior positiva. O vinho nos leva à liberdade. A alma experimenta a transformação do que é terrestre e vegetal em algo livre de todos os laços.

Aproveite hoje, que é um dia especial para esta bebida considerada um milagre da vida e faça um brinde. De preferência, inspirado pela Deusa do Amor.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Deus Odin e as Runas.

Hoje é o dia da auto-imolação do deus nórdico Odin para alcançar os segredos das Runas.

Odin é o Deus supremo do panteão nórdico. Tinha muitos nomes como por exemplo “pai dos deuses”, Deus das Batalhas e dos Mortos, da Magia e da Poesia. Era ele quem inspirava coragem e ousadia nos guerreiros vikings nos campos de batalha.

Segundo a mitologia, as pedras rúnicas foram encontradas por Odin, que não mediu esforços para conseguir obter a verdadeira sabedoria que nelas continha.

Procurou Mimir, o mais sábio dos deuses, e propôs a ele uma troca. Odin daria um de seus olhos à Mimir se este lhe permitisse beber da água do poço que ficava abaixo da árvore cósmica. Então, durante nove dias e nove noites, Odin ficou suspenso pela Árvore do Mundo em sacrifício ao seu objetivo.

Odin divulgou entre seu povo as Runas como símbolos de sabedoria e conhecimento de todos os mistérios dos deuses e dos homens.

O significado da palavra “runa” é segredo. É um antigo alfabeto de origem nórdica e germânica usado tanto para a comunicação do dia-a-dia quanto para propósitos místicos e proféticos.

Diferentes versões desse alfabeto foram adotadas no norte da Europa em várias épocas e lugares. Mas desapareceram por volta do século XV com a expansão do cristianismo e o declínio das crenças e práticas pagãs.

No final do século XIX, ocultistas alemães as retomaram e desenvolveram estudos que posteriormente foram adotados pelos nazistas. Hoje, as Runas são usadas para magia e adivinhação.

Aproveite este dia para experimentar e conhecer este oráculo sagrado. Confira aqui um link de Runas.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Diana, a Deusa Caçadora.

Deusa romana dos bosques, das florestas e da lua. Também conhecida como deusa da Caça ou deusa Pura pois era padroeira da virgindade.

A origem de seu nome vem de Diviana que significa “a que brilha”.

Filha de Júpiter e de Latona, é irmã gêmea de Apolo. Como nascera um pouco antes do irmão, foi testemunha das dores do parto de sua mãe. Concebera tal aversão que obteve permissão do pai para não se casar a fim de permanecer sempre casta.

Júpiter então, forneceu-lhe um séquito de 60 oceânidas e 20 ninfas que, como ela renunciaram ao casamento. E também lhe deu arco e flechas para a fazer rainha dos bosques.

Na mais famosa de suas aventuras transformou o caçador Acteão num cervo e depois ordenou que seus cães o devorassem. Acteão a tinha visto nua tomando banho.

No Centro de Éfeso, na Ásia Menor, havia um enorme templo dedicado à Diana, com centenas de sacerdotisas virgens. Elas praticavam além da abstinência sexual, magia e acreditavam na superioridade feminina. Esse templo foi considerado uma das 7 maravilhas do mundo antigo.

Na Bíblia há um episódio chamado "Tumulto em Éfeso" que relata a idolatria à Diana. São Paulo Apóstolo chegou à Éfeso e começou a pregar. Muitos abraçaram a fé cristã e passaram a confessar suas práticas de magia. Traziam livros e os queimavam à vista de todos. Os fabricantes de ídolos da deusa se amotinaram contra São Paulo e de repente houve como que uma revolução na cidade. O povo se levantou contra o apóstolo gritando “Grande é a Diana dos Efésios!”

Com um perfil severo, cruel e até vingativo, o recado que Diana nos passa é para não sermos impetuosos pois podemos destruir nossos desejos. Evitar ações ousadas e assumir um comportamento ameaçador. Em vez disso, adotar uma abordagem mais fria e sofisticada.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Zorya, Deusa das Estrelas.

Hoje celebra-se a Deusa Tríplice das Estrelas, Zorya, venerada na Rússia. Pode ser descrita como as três irmãs: a Zorya da estrela da Manhã, a da estrela da Tarde e a da estrela da Meia-noite.

A da estrela da Manhã abre os portões do Céu para a carruagem com o deus Sol passar. Ela vem montada num cavalo e vestida como um bravo guerreiro.

A estrela da Tarde abre as portas do Céu quando o Sol retorna.

E é nos braços da estrela da Meia-noite que o Sol morre todos os dias antes de ser lançado de volta à vida para ela.

São como guardiãs do mundo e cuidam para que o cão preso à Constelação da Ursa Menor, não quebre sua corrente e devore as estrelas. Se ele se soltar pode acabar com o universo, acontecendo o Juízo Final.

Zorya é uma deusa associada com a morte, o renascimento, a magia e a sabedoria.

Na mitologia eslava, também é a Deusa da Aurora, uma grande guerreira que nasceu armada para dissipar as forças da noite.

Geralmente as deusas guerreiras são representadas vestindo uma armadura flamejante ou coberta de ouro, prata e jóias.

domingo, 15 de agosto de 2010

Hécate, a Deusa Negra.

É a Deusa da Morte e do Renascimento. Também chamada de Deusa grega das Horas Escuras.

Era o terceiro aspecto da Lua, A Anciã, reverenciada como a Patrona da Sabedoria. Um de seus símbolos era o caldeirão. E os festivais em sua homenagem aconteciam à noite sob a luz de tochas. Era uma deusa que conhecia os caminhos no reino dos espíritos.

Considerada uma das divindades mais importantes do mundo dos mortos. Poderosa tanto no Céu quanto na Terra, concedia aos homens riqueza, sabedoria e vitória de acordo com o seu humor.

Filha de Zeus e de Hera, roubou um pote de ruge de sua mãe para dá-lo à Europa. Hera, furiosa, correu atrás dela mas Hécate fugiu para a Terra e refugiou-se na casa de uma mulher que acabara de dar à luz.

Por causa desse contato, Hécate ficara impura. E para limpá-la, Kabiri, o Deus de Mistérios, levou-a ao mundo de Hades e a mergulhou no Rio Aqueronte, de onde não mais saiu.

No entanto, costumava viajar com sua matilha de cães sagrados podendo ser vista por mortais nas encruzilhadas da vida.

Como Hécate amava lugares escuros e remotos, era chamada de “A Distante”, protetora de locais inóspitos. Simbolicamente era representada com 3 rostos indicando sua habilidade em adivinhar e compreender os mistérios do passado, presente e futuro; nascimento, vida e morte; céu, terra e mundo dos mortos.

Essa deusa tem o poder de olhar para três direções ao mesmo tempo. Principalmente quando algo do passado torna difícil fazer fluir o presente, ela nos faz visualizar o que precisa ser revisto, revivido e então afastado definitivamente. Como se varrêssemos para longe toda essa influência do passado.

Essa varredura não irá mudar o passado, mas fará você entender que precisa viver e fazer tudo que puder no presente. Pois o futuro cuidará de si mesmo.
A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sábado, 14 de agosto de 2010

Marte, Deus da Guerra.

Marte é o 4º. Planeta a contar do Sol. Está situado entre a Terra e Júpiter.

À noite aparece como uma estrela vermelha, razão pela qual os romanos lhe deram o nome de Marte, o Deus da Guerra. Já os babilônios, viam Marte como a Estrela da Morte. Enquanto que os orientais o chamavam de Estrela de Fogo.

Na mitologia, Marte é o deus romano da guerra, e seu equivalente na mitologia grega, é Ares. Filho de Juno e Júpiter, é considerado o deus da guerra sangrenta. Ao contrário de sua irmã, Minerva, que representa a guerra justa e diplomática.

Os dois irmãos acabaram se confrontando junto as Muralhas de Tróia, cada um defendendo um exército. Marte, protetor dos troianos, acabou derrotado.

Apesar de ser um bárbaro e cruel, despertou o amor de Vênus e com ela teve dois filhos: Cupido e Harmonia, esta era mortal. Vênus viveu com Marte um relacionamento adúltero, já que ela era casada com Vulcano.

Marte na atualidade, é um planeta de mistérios para os cientistas. Uma nave da Nasa, a Mars Observer, desapareceu ao se aproximar de Marte. A Fobos 1, nave russa, teve problemas bem antes de chegar a Marte, enquanto que a Fobos 2 foi declarada perdida já na órbita de Marte. E na superfície marciana, uma imagem intrigante de um rosto humano registrado numa foto em 1976 por uma das naves-gêmeas, a Viking 1. Essa imagem ficou conhecida como Esfinge Marciana.

Para quem puder, neste domingo, amanhã, o ufólogo Marco Petit estará falando sobre os mistérios de Marte numa palestra no Rio de Janeiro. Confira aqui mais detalhes.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sexta-feira 13.

O número 13 encerra um mistério que para muitos é motivo de repúdio. Enquanto que para outros é sinônimo de vida, renascimento.

A fama de agouro do 13 existe desde a Antiguidade. Felipe da Macedônia, tendo acrescentado sua estátua às estátuas dos Doze Deuses superiores, durante uma procissão, morreu logo em seguida assassinado no teatro. A última refeição de Cristo contou com 13 pessoas. A cabala enumera 13 espíritos do mal. E o 13º. capítulo do Apocalipse é o do Anticristo e da Besta. E ainda, no tarô, o número 13 é a carta da Morte.

Analisado pelo prisma positivo, o 13 é um número sagrado e fundamental na astronomia, no calendário e na teologia dos mexicanos antigos. Entre astecas e maias, é o numero do próprio tempo, o que representa o término da série temporal. No calendário religioso desses povos, 13 são os meses do ano e 13 também são os dias que perfazem uma semana inteira.

O número em questão, corresponderia a um recomeço. Seria antes um refazer do que um renascer de algo. E ainda temos o marco da fundação da cidade de Salvador, Bahia, fincado no paralelo 13, ao lado da cidade de Nazaré, que também está no paralelo 13, onde Cristo viveu.

Mas se unirmos este número a uma sexta-feira, os dissabores serão maiores. Foi numa sexta-feira 13 (outubro de 1307) que a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV da França e seus membros presos, torturados e executados por heresia.

Foi provavelmente numa sexta-feira 13 que Jesus foi crucificado. Foi também numa sexta-feira 13, em 1939, que aconteceu o pior incêndio de florestas na história da Austrália. Aproximadamente 20 mil quilômetros de terra foram queimados e 71 pessoas morreram. E foi numa sexta-feira 13, em 1972, que caiu o avião que levava a equipe uruguaia de rúgbi, nos Andes. Esse acidente deu origem ao filme Vivos.

Em Portugal, uma sexta-feira 13 no calendário é motivo de festa. Muitas cidades e vilas adoram comemorar este dia. Como é o caso do castelo de Montalegre, onde todas as sextas-feiras 13 é realizada uma grande festa com direito a bruxas, bruxos, feitiços, teatro e uma fogueira.

Se você pensava que sexta-feira 13 era um dia específico para o azar, nem é tanto assim já que é possível encontrar quem o considere um motivo de festa. Então, não vamos pensar o pior para o dia de hoje. Vamos procurar vivê-lo e reter apenas as boas energias.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Antigo Egito e os ETs.

O Antigo Egito remete à imagem de uma civilização cercada de mistérios, de tesouros escondidos e maldições devido às tumbas dos faraós depositadas nas famosas construções piramidais.

Pesquisas, estudos, cálculos e muito mais já foram feitos para tentar chegar a uma conclusão sobre a origem arquitetônica dessa civilização. Dentre as hipóteses está a interferência de uma inteligência extraterrestre.

Os aspectos enigmáticos se referem à suposta presença alienígena marcada em artefatos egípcios, pinturas hieroglíficas e principalmente na construção das pirâmides e templos colossais desse antigo império.

Segundo a mitologia, os primeiros reis eram deuses que desceram à Terra para realizar obras como a canalização do rio Nilo, por exemplo. Teriam reinado por 9 mil anos. Depois, seu filho Rá, deus Sol, na sucessão, teria reinado por mil anos. Outros deuses teriam também aportado na Terra em suas barcas celestiais e após o período de reinado, o governo terrestre teria passado para os semi-deuses.

Um defensor da teoria dos extraterrestres é o suíço Erich Von Daniken, que escreveu o livro “Eram os deuses astronautas?” Ele especula também a possibilidade de outras civilizações terrestres terem sido resultado de interferências alienígenas. O autor apresenta como provas as coincidências entre as pirâmides egípcias e incas, os misteriosos moais da Ilha de Páscoa, entre outras maravilhas do planeta.

Na sua visão, essas estruturas possuem um propósito tão maravilhoso e tão misterioso que não poderiam ter sido construídas sem uma ajuda de fora. Sendo que esses seres de fora teriam sido considerados divindades pelos antigos povos justificando a explicação do título do seu livro.

Para quem se interessa sobre assuntos ligados ao Antigo Egito e suas pirâmides, domingo haverá uma palestra no Rio de Janeiro que relaciona o período dessa civilização com uma presença extraterrestre na terra. Confira aqui os detalhes desse evento.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.


quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Medusa, a Górgona.

Culto antigo à deusa solar originária da Anatólia, Medusa, reverenciada por suas sacerdotisas que usavam máscaras de serpentes. É um aspecto da Deusa Atena da Líbia, onde era a Deusa-Serpente das amazonas Líbias.

Era uma das três Górgonas, irmãs más. Filhas de Fórcis e Ceto.

Conta a lenda que as górgonas eram extremamente belas e de cabelos invejáveis. Mas eram desregradas e sem escrúpulos. Medusa, era chamada de impetuosa, Esteno, a que oprime, e Euríale, a que está à margem.

Por serem belas mas perversas, causou irritação nos demais deuses e principalmente em Atena. Esta, admirou-se de ver que a beleza das Górgonas as fazia exatamente idênticas a ela.

Atena, para não permitir que deusas iguais a ela demonstrassem um comportamento maligno, deformou-lhes a aparência. Os belos cachos das irmãs transformaram-se em ninhos de cobras letais e violentas que picavam suas faces. Seus dentes viraram presas de javalis e seus pés e mãos macias se tornaram bronzes frios e pesados. E ainda condenou a transformar em pedra tudo aquilo que pudesse contemplar seus olhos.

Ninguém poderia olhar para elas pois encontraria a morte.

A deusa da guerra e da sabedoria foi mais além. Como vingança por Medusa ter cedido às investidas de Poseidon no próprio Templo de Atena, esta lhe tomou a imortalidade fazendo-a ser a única mortal entre as Górgonas.

Mais tarde, Perseu contou com a ajuda de Atena e de outros deuses para encontrar Medusa e cortar sua cabeça.

Com esta cabeça, Perseu teria realizado prodígios pois mesmo depois de Medusa morta, a cabeça continuava viva e quem olhasse para seus olhos se tornava pedra.

Ao ser decapitada, Medusa que estava grávida, teve dois filhos. O cavalo alado Pégasus e o gigante Crisaor.

Medusa tirava a vida com um simples olhar. Isso significava que não podia ser vista de frente.

Seu nome quer dizer sabedoria soberana feminina. Todas as faces da Grande Deusa Primordial: os Ciclos do Tempo como passado, presente e futuro. É a guardiã dos limiares e mediadora entre os reinos do céu, da terra e do mundo subterrâneo.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Cruz Ansada.

Ninguém sabe exatamente quando surgiu a Cruz Ansada, originalmente chamada de Ankh. Mas tudo indica que tenha sido na Quinta Dinastia dos faraós.

É a cruz mais antiga do Egito. Símbolo de toda a vida, da imortalidade, tanto divina quanto humana e representava a chave do conhecimento dos mistérios e da sabedoria oculta.

Essa cruz estava relacionada a dois elementos que os egípcios acreditavam serem essenciais à vida: o ar e a água.

A cruz é um símbolo universal do relacionamento existente entre o mundo material e a realidade interior, espiritual e cósmica.

Nas pinturas e gravuras, os deuses estão sempre segurando uma Cruz Ansada e direcionando ela para faraós ou rainhas, conferindo-lhes vida eterna por intermédio do ar.

Também significa o centro, de onde se derramam as qualidades divinas e os elixires da imortalidade.

A cruz de Ankh, é o símbolo de um nó mágico. É o nó de Ísis, deusa egípcia, uma espécie de cordão que envolve os braços e o anel da cruz.

A imagem 1 veio daqui.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Espiritismo e Ecologia.

Na primeira leitura pode parecer estranho ouvir falar dessa dupla: Espiritismo e Ecologia. Mas não se engane, uma está relacionada a outra.

A natureza e o homem sempre foram parceiros na história da humanidade. Mas oposto do que existe hoje, o homem temia desafiar o meio ambiente no passado. E esse temor nada tinha a ver com o instinto de preservação do planeta.

Civilizações mais antigas, por exemplo, acreditavam que os espíritos que viviam nas árvores e nas pedras tinham que ser venerados para evitar que se revoltassem contra os humanos. Acreditava-se que as pessoas não tinham muito controle sobre o meio ambiente e por isso deveriam reverenciá-lo.

Hoje é o contrário. O meio ambiente é que deve temer a ação do espírito humano. Está nas nossas mãos o futuro dele. Por isso a necessidade de criarmos uma consciência ecológica e de amor ao próximo. Precisamos poupar ao máximo recursos naturais hoje para que as futuras gerações também possam usufruir.

No Espiritismo encontramos considerações focadas na preservação do meio ambiente pois é uma doutrina filosófica de cunho científico e de consequências morais.

Há uma citação no Livro dos Espíritos, sobre a Lei da Conservação, quando Kardec pergunta sobre o porque da terra nem sempre produzir bastante para fornecer ao homem o necessário. E os espíritos lhe respondem: “(...) A Terra produziria sempre o necessário, se com o necessário soubesse o homem contentar-se. Se o que ela produz não lhe basta a todas as necessidades, é que ele a emprega no supérfluo o que poderia ser empregado no necessário”.

A citação nos chama a atenção para o consumo consciente. Uma atitude que prega o desapego da matéria e a consciência de que devemos poupar para as futuras gerações.

Já que somos a maior nação espírita do mundo e temos um dos biomas mais importantes do planeta, temos que fazer a nossa parte. Se você quiser saber mais sobre esse tema, nesta sexta feira, dia 13 de agosto, vai acontecer uma palestra na Tijuca/RJ ministrada pelo jornalista e apresentador de TV André Trigueiro. Para assistir a esta palestra, cujo título é Ecologia e Espiritismo, é necessário fazer reserva antes. Confira aqui os contatos.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

domingo, 8 de agosto de 2010

Feiticeira, Maga ou Bruxa?

Já se perguntou qual a diferença entre essas três encantadas? Ou você acha que uma quer dizer outra e todas têm o mesmo encanto?

Na realidade, os encantamentos são os mesmos, mas o que vai nos fazer discernir uma das outras são as suas práticas.

A Feiticeira comunga no plano físico. Ela sabe que as leis são próprias da Mãe Natureza. Então, tudo que ela utiliza no seu caldeirão são ingredientes naturais colhidos vivos, quando vegetais e minerais, ou recolhidos já mortos da fauna e flora do planeta. De alguma forma as feiticeiras reciclam a natureza. E tudo volta. Nada se perde com elas. Elas produzem chás medicinais, poções para as paixões humanas e por aí vai.

A Maga trabalha no plano mental. É puro pensamento. Além do que sua própria vida é um eterno ato de magia. Faz seus rituais como acender velas, incensos, invocar anjos, santos, demônios, o que for mas sempre dentro da sua força mental. Pode até se valer de todas as práticas de feitiçaria mas não serão estas que lhe garantirão o sucesso em seus rituais mágicos. No entanto, com a sua magia é possível causar uma interferência no ciclo natural da vida. O caminho é desviado mas o que ganhar sem ter tido o mérito, um dia lhe será cobrado. Haja imaginação para sair das tramas em que se envolver.

A Bruxa pode ser a mais malvada de todas. A prática delas utiliza forças sobrenaturais. Elas se valem do astral para movimentar céu e terra aos seus favores. Seu caldeirão ferve com ingredientes naturais colhidos e recolhidos muitas vezes vivos. Pois precisam do fluido vital para ter algum poder sobre o astral. As Bruxas se valem tanto das práticas de feitiçaria quanto das de magia. Ou seja, elas acionam os três planos: físico, mental e astral. A interferência neste caso pode acarretar a abertura de novos processos cármicos.

Mas hoje em dia, o significado dessas três encantadas acabou se fundindo numa só. Alguém pode se dizer uma bruxa e ser na prática uma feiticeira. Ou achar que está fazendo uma magia quando na verdade é uma bruxaria. O importante é que tudo o que for feito, tenha um sentido justo e que não fira o outro. A vida já tem uma magia que se nós a deixarmos acontecer tudo irá fluir para o bem comum.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.
A imagem 3 veio daqui.

sábado, 7 de agosto de 2010

Conde de Saint Germain.

Uma figura enigmática e ao mesmo tempo de grande reverência. É o Mestre Ascenso do 7º Raio. O raio da purificação, transformação e libertação.

Isso significa que ele é o guardião da Chama Violeta, a mais poderosa força espiritual existente no planeta, segundo os ocultistas e os adeptos da Nova Era.

Diz-se que essa chama tem o poder de dissolver e incinerar, queimar, o carma de uma pessoa.

É também chamada de chama da misericórdia, pois é um instrumento que possibilita o melhoramento pessoal e a ascensão espiritual.

Segundo a filosofia ocultista, o Conde de Saint Germain teria vivido entre os anos de 1696 a 1784. Mas há inúmeros outros registros que se formos levar todos em consideração, este Conde terá vivido pelo menos por mais de 500 anos.

A verdade é que até a sua origem é um mistério. Mas o que se sabe é que era mesmo o Conde de Saint Germain pois teria comprado uma propriedade chamada San Germano, no Tirol italiano, e havia pago ao Papa o título.

Suas virtudes e qualidades impressionavam. Possuía fluência em 12 línguas. Era ambidestro e tinha uma memória extraordinária. Tocava todos os instrumentos mas o seu favorito era o violino. Lia cartas fechadas, quando estas estavam ainda nas mãos do portador. E ainda, nunca ninguém o viu comer ou beber algo. Dizem que possuía o elixir da juventude e a pedra filosofal, tendo sido um grande alquimista. Costumava presentear seus amigos com pedras preciosas. Era imensamente rico.

Sabia tudo sobre ervas e plantas medicinais tanto que teria conseguido prolongar sua vida com elas. Pois em todos os registros ele aparentava ter sempre entre 45 e 50 anos de idade. Quando perguntado sobre tanto conhecimento ele dizia que aprendera tudo sozinho.

Em 1930, Saint Germain teria aparecido aos pés do Monte Shasta, na Califórnia. O Monte Shasta é um vulcão em extinção localizado a 14.000 pés de altitude no meio de uma Reserva Florestal. Parte da montanha fica coberta por gelo. Estudiosos acreditam que estas geleiras são Portais para outras dimensões. E que seres de elevada consciência convivem ali irradiando amor e luz para todo o planeta, principalmente os guardiões da Chama Violeta.

Se quiser experimentar a energia dessa chama que liberta, visualize-se envolto nela até que tome conta do seu corpo. Sinta-a queimar-lhe por dentro seus registros cármicos. E depois, tal qual um vulcão, imagine esta chama saindo pelo seu chakra coronário, o da cabeça, e se diluindo na atmosfera.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Ayel, o Anjo da Esperança

O Anjo que rege o dia de hoje chama-se Ayel. Ele é esperança pura.

Este Anjo nos ajuda a superar as intempéries da vida. Aquelas adversidades que não estávamos preparados para viver. Ayel nos tira lá do fundo do poço e nos dá um caminho para seguir. Não nos deixa esmorecer.

Nos auxilia até mesmo perante as injustiças que muitas vezes se apresentam à nossa frente sem se quer entendermos como e porquê elas apareceram. Ayel nos ensina que para tudo há uma razão. E o caminho a seguir é o da fraternidade.

É este anjo que nos tira a sensação de derrota e nos ajuda a transformar projetos em grandes realizações. Ele rege também as aventuras e os estudos das ciências ocultas.

O significado de anjo é mensageiro, intermediário entre Deus e o mundo. São mencionados sob diversas formas nos textos acádios, ugaritas, bíblicos entre outros.

Tidos também como guardiões, condutores de astros, executores de leis, protetores dos eleitos... Passaram a ter grande importância para a Igreja a partir do século IV. Os teólogos fizeram então uma classificação e distribuição hierárquica. São sete ordens de nove coros ou categorias: anjos, arcanjos, querubins, serafins, potestades, tronos, virtudes, domínios e principados.

Ayel faz parte da categoria dos Anjos. São os escolhidos por Deus para fazer seus milagres e proteger todos os seres humanos. E quem rege essa categoria é o príncipe Gabriel, protetor da humanidade.

Existe uma equivalência simbólica entre os mensageiros da mitologia dos celtas e dos anjos do cristianismo. Os mensageiros celtas se transformam em cisnes para fazer a ponte com o Outro-Mundo. Enquanto que os anjos dos cristãos, ostentam asas de cisnes.

Para invocar Ayel, acenda uma vela branca e sente-se confortavelmente. Fique em silêncio profundo e se concentre nos seus sentimentos. A cada sentimento que perceber, visualize imagens em tons de branco como se quisesse neutralizá-lo. Por exemplo, uma pomba branca ou um jardim de margaridas brancas. O branco vai lhe dar uma paz tão desprovida de julgamentos e paixões humanas que fará seu coração desejar atingir a faixa vibratória deste anjo. E chegando nela, mentalize seu pedido.

Os dias do Anjo Ayel: 25/05 - 06/08 - 18/10 - 30/12 - 13/03

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...