terça-feira, 31 de maio de 2011

Grainne, a Princesa Celta.

Na mitologia celta, hoje comemorava-se a princesa Graine que entre ver tolhida sua liberdade ou ir de encontro a morte, preferiu a segunda.

No antigo mito, a deusa solar chamada Grainne, escolhe fugir com um jovem e abandona seu velho marido. Mas o jovem herói é morto e Grainne se vê obrigada a voltar para a sua antiga vida. Inconformada e decidida, Grainne opta pela morte. É a batalha entre o jovem e o ancião onde a Deusa escolhe seu consorte, substituindo o antigo rei. De forma simbólica, podemos encontrar nessa lenda a exposição dos ressentimentos patriarcais em relação à liberdade de escolha da mulher e o domínio do homem sobre ela.


A imagem veio daqui.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Santa e Guerreira Joana D'Arc.

Hoje é dia de Joana D’arc, santa católica que nasceu na França no período Medieval de nossa História, no ano de 1412 e morreu em 1431. Foi uma personagem importante no cenário francês daquela época, onde seu país enfrentava os ingleses, na Guerra dos Cem Anos.

Há fatos trágicos na vida de Joana. Quando criança presenciou a morte de vários membros de sua família por soldados ingleses, quando estes invadiram a vila onde morava. Aos 13 anos começou a ter visões e a receber mensagens. Joana dizia que estas visões eram dos santos Miguel, Catarina e Margarida. E nas mensagens, lhe era pedido que entrasse para o exército francês e ajudasse seu reino na guerra contra a Inglaterra.

Motivada por essas mensagens, cortou seus longos cabelos, vestiu-se de homem e começou a treinar posições e lances de guerra. Acabou sendo aceita no exército e chegou a comandar tropas. Suas vitórias foram tão importantes que ganharam o reconhecimento do rei Carlos VII. Isso despertou a inveja de outros líderes militares que começaram a conspirar contra Joana.

Durante uma batalha em Paris, quando estava com 17 anos, Joana foi ferida e capturada pelos Borgonheses, facção francesa que ficou do lado da Inglaterra, que a venderam para os ingleses. Foi acusada de feitiçaria, pelas suas visões, e condenada à morte na fogueira.

Joana D’Arc morreu muito jovem. Sua vida foi meteórica. Era uma camponesa analfabeta que derrotou um exército, coroou um rei e depois de ser torturada moral e fisicamente por dois anos, numa jaula forjada especialmente para ela, ainda foi queimada viva na fogueira. Tudo isso aconteceu num espaço de dois anos. Vinte e cinco anos depois de sua morte ela foi absolvida pela Igreja. Mas já era tarde. Teve início então um irresistível crescimento de veneração à corajosa guerreira.

Em 1855, a jovem Ermance Dufaux de apenas 14 anos, psicografou a vida de Joana D’Arc e a publicou num livro intitulado História de Joana D’Arc ditada por ela mesma. Alguns trechos deste livro podem ser encontrados em sites de busca na internet.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

domingo, 29 de maio de 2011

Dia do Carvalho.

Na Inglaterra hoje comemorava-se a árvore do Carvalho. Eram feitas invocações para se afastar as pragas, as chuvas de granizo e para garantir a saúde dos animais e dos camponeses.

Naquela época animais eram sacrificados como oferenda. Mas antes, os animais deveriam atravessar os campos por três vezes. As outras oferendas consistiam em guirlandas com flores, frutas, bolos de milho, leite, vinho e mel.

É possível ainda encontrar nos dias de hoje algumas casas enfeitadas com galhos, folhas e frutos de Carvalho para atrair seus poderes protetores.

Se você quiser comungar com essa energia, pegue um galho de qualquer árvore frondosa e resistente, como as mangueiras e figueiras, por exemplo. Mas se for tirar um galho vivo de uma árvore, não esqueça de pedir licença à seu guardião e ofereça em troca um fio de cabelo seu, ou uma moeda ou mesmo um pouco de fubá.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sábado, 28 de maio de 2011

Python, a Serpente Sagrada.


Hoje comemora-se Python, uma serpente gigantesca que teria nascido do lodo da Terra após o grande Dilúvio.

De acordo com a mitologia grega, Python era filha de Hera, nascida sem a interferência de Zeus, e morava sob a fonte sagrada de Delphi. Criada para ir atrás de Leto quando esta se encontrava grávida de Apolo e Ártemis, fruto de seu envolvimento com Zeus. Mais tarde, na sua juventude, Apolo para se vingar de Python por esta ter tentado molestar sua mãe, matou a serpente a flechadas dividindo o seu corpo. Como a serpente era filha de Gaia, Apolo teve que pagar uma penitência pois qualquer um que ofendesse Python era severamente punido.

Python personificava o espírito profético do Oráculo de Delphi. Era através dela que o Oráculo se comunicava com as Pitonisas. Por habitar a terra, Python conhecia todos os seus segredos e os transmitia para as Pitonisas em transe. Antes de começarem as profecias, Pythia, a sacerdotisa de Delphi, e todos os que iam se consultar, mastigavam folhas de louro para se purificarem.

E mesmo depois que o Templo foi usurpado pelos Sacerdotes de Apolo, o oráculo, assim como Python, continuaram pertencendo às Pitonisas.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

O Mental Gêmeos.

O sol entrou em Gêmeos no dia 21 de maio. É o terceiro signo astrológico do zodíaco e está associado à Constelação de Gêmeos.

Gêmeos é o símbolo dual na semelhança e na identidade. Pode-se dizer que é a imagem de todas as oposições interiores e exteriores, contrárias ou complementares, relativas ou absolutas.

As características positivas deste signo são a comunicação, a versatilidade e a inteligência. E as negativas são a contradição, a inconseqüência e a superficialidade.

Gêmeos representa a essência do mental. Sempre em busca de novidades e de relacionamentos. Seus principais focos além dos relacionamentos, é a mudança.

Esse signo é regido pelo planeta Mercúrio, o mensageiro alado, o filho mais inteligente de Zeus. Seu elemento é Ar. A qualidade é mutável. E a polaridade, masculina.

Conta a mitologia que Gêmeos representa Castor e Pólux, filhos de Leda com Júpiter. Este teria se transformado em cisne para seduzir a esposa de Tíndaro, rei de Esparta. Como resultado dessa união, Leda pôs dois ovos. De um deles nasceram Helena e Clitemnestra. E do outro, Castor e Pólux. Um era humano, e outro mortal.
Castor era guerreiro, impulsivo, forte enquanto que Pólux era sensível, delicado e amante da música. Mais tarde, em um batalha Castor foi ferido mortalmente e Pólux, triste pede ao pai que o traga de volta à vida. A única solução encontrada foi que os irmãos se revezassem diariamente entre o Olimpo e o Reino de Hades.

Dessa história vem a versatilidade de Gêmeos. Parece que são dois dentro dele, ou melhor, vários.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Nossa Senhora de Caravaggio.

A história de Nossa Senhora de Caravaggio é uma história de fé. A aparição de Maria, mãe de Jesus, teria acontecido no município de Caravaggio, na Itália. Encontrava-se nos limites entre os estados de Milão e de Veneza. O ano era 1432. E a época, marcada por divisões políticas e religiosas. Pouco antes dessa aparição, havia ocorrido uma batalha entre Milão e Veneza.

Nossa Senhora teria aparecido à uma camponesa chamada Joaneta, no momento em que esta estava colhendo pasto distante 2km de Caravaggio. Orando e chorando, ela viu uma senhora que mais parecia uma rainha mas que se mostrava extremamente bondosa. Pedia-lhe para que não tivesse medo e que se ajoelhasse para receber a mensagem que lhe daria. Se anunciando como “Nossa Senhora”, disse que tinha conseguido afastar do povo cristão os merecidos e iminentes castigos da Divina Justiça e vindo anunciar a paz. E pede que o povo volte a fazer penitência, jejum nas sextas-feiras, ore aos sábados à tarde e construa uma capela em seu nome.

No lugar dessa aparição brotou uma fonte abundante de água límpida, que existe até hoje. Muitos doentes se recuperam bebendo dessa água.

Joaneta, que na época tinha 32 anos e era tida como piedosa e sofredora pois seu marido tinha o hábito de lhe bater, levou ao povo e aos governante o recado da Virgem. Em suas visitas levava ânforas de água da fonte sagrada que sempre resultavam em curas milagrosas provando assim a veracidade da aparição que presenciara. Logo aconteceu a paz tão esperada na pátria e na própria Igreja. Até mesmo o marido de Joaneta melhorou com ela. Não se tem registros sobre o que aconteceu à Joaneta a partir daí.

No mesmo ano da aparição, o vigário do bispado próximo, colocou no local a primeira pedra para construir uma capela. Ao lado da capela foi construído um hospital para atender aos doentes que recorriam à ela. No século seguinte a capela foi destruída para se construir o atual templo. Esse santuário, que inicialmente tinha a função de hospedar os peregrinos e doentes, também se transformou num centro de aconselhamento matrimonial e familiar e um centro de espiritualidade. Passou por algumas reformas até chegar à construção de hoje.

O maior santuário brasileiro de Nossa Senhora de Caravaggio está na cidade de Farroupilha, no Rio Grande do Sul. Foram os imigrantes italianos que trouxeram para o Brasil essa devoção. Começou quando os italianos, já em terras brasileiras, sentiram falta de um lugar para a orientação espiritual. Até que um padre, também italiano, começou a fazer atendimento na casa das pessoas. E a primeira missa aconteceu em 1878. Mas logo viram a necessidade de construir uma capela. E assim o fizeram no local do primeiro atendimento. Ainda não sabiam que santo acolher, até que o italiano Natal Faoro ofereceu um pequeno quadro com a imagem de Nossa Senhora de Caravaggio, que trouxera da Itália. O quadro ficou no altar e a capela inaugurada em 1879.
Essa capela passou por diversas reformas até ser erguido o templo atual, em 1963. Ela possui uma das romarias mais tradicionais do Brasil. O mês de maio é tomado por romarias em Farroupilha. No primeiro final de semana é dos ciclistas. No segundo, a Cavalgada da Fé. E no terceiro, os motoqueiros. No último final de semana, é a romaria a pé. Reúne cerca de 250 mil pessoas todos os anos.

O tema deste ano é “Maria, ajuda-nos a cuidar da criação”. É um tema relacionado à preservação da natureza. O evento está em sintonia com a campanha da fraternidade de 2011 que é “Fraternidade e a vida no Planeta”.

Em 2008 foi erguido em Farroupilha um monumento com a estátua de Nossa Senhora com a camponesa. E em 2007, o cineasta Fábio Barreto fez um filme contando a história de Nossa Senhora de Caravaggio. No elenco estão Luciano Szafir, Cristiana Oliveira, Araci Esteves entre outros.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

As Santas Marias do Mar.

No Sul da França, uma cidade chamada Saintes Maries de La Mer, abriga uma religiosidade cigana e cristã que tem início no dia 24, com a festa à Santa Sara Kali e se estende nos próximos três dias em homenagem às três Santas Marias do Mar.

Essa tríade, na verdade, é mais antiga que a Era Cristã pois alguns estudiosos afirmam que a trindade feminina precedeu à masculina. São elas Donzela-Mãe-Anciã que teriam dado origem à representação cristã das três Marias: a Virgem Maria, Maria Madalena e Maria Jacobina.

O festival das Três Marias é considerado a única celebração antiga da Deusa Tríplice que ainda se mantém viva.

Os ciganos são a maioria nessa festa. Eles vêm de todas as partes da Europa e de outros lugares do mundo também.

São feitas procissões de barcos, casamentos, feiras, danças, competições à cavalo e adivinhações. A festa dá um colorido exótico à cidade nesses três dias e três noites.

Embalado por essa magia, hoje é um bom dia para consultar um baralho cigano. Se você não joga cartas e nem faz consultas com cartomantes, pode acessar este link em busca de sua sorte.


terça-feira, 24 de maio de 2011

Sara, a Santa dos Ciganos.

Hoje é dia de Santa Sara, a Santa dos Ciganos. Também chamada de Sara Kali, a Virgem Negra.

Conta a lenda que os ciganos a teriam acudido quando chegava às margens do Mediterrâneo, no sul da França, fugindo da perseguição cristã. Sara estaria num barco junto com mais três mulheres: Maria Salomé, Maria Madalena e Maria Jacobina. Sem remos, Sara teria depositado toda a sua fé em Jesus para que as salvassem. E assim aconteceu. Os ciganos se identificaram tanto com sua história que a tomaram por padroeira.

A imagem da santa fica na cripta da Igreja de Saint Michel, onde também estariam seus restos mortais. Recorrem a ela toda a natureza de pedidos pois ela tem fama de atender à todos que nela depositam verdadeira fé. Ela é a Santa dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.

Mas também é para os ciganos, protetora da maternidade. Sua imagem é coberta por lenços. As mulheres que querem ter filhos ou que pedem por um bom parto recorrem à ela. Quando seus pedidos são atendidos, depositam aos pés da Santa um lenço.

Hoje no Rio de Janeiro, acontece no Parque Garota de Ipanema a 13ª. Cruzada pela Paz Mundial que reúne a comunidade cigana. Começa às 16 horas com uma corrente da paz ministrada pela cigana Mirian Stanescon e às 19 terá um show de música e dança. A entrada é franca.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Festival da Rosália.

Hoje é dia do Festival das Rosas que marca o início das festividades dedicadas à Flora, deusa da Vegetação e à Afrodite, deusa do Amor.

Na Irlanda também celebrava-se essa data reverenciando Branwen, deusa do Amor, da Sexualidade, da Lua e da Noite. Também é chamada de “seios brancos” ou “vaca prateada”.

Para entrar na energia desse dia, pode-se enfeitar a casa com flores, acender uma vela vermelha e incenso de rosas. Tudo que tiver a essência de rosas será bem empregado no dia de hoje. Uma boa dica também é sair para festejar o amor.

domingo, 22 de maio de 2011

Santa Rita de Cássia.

Hoje é dia de Santa Rita de Cássia. Monja agostiniana da Diocese de Espoleto, na Itália.

Rita Lotti nasceu em 1381 numa época de muitas guerras, disputas, conquistas, rebeliões e também terremotos. Sua mãe já tinha uma idade avançada quando engravidou, 62 anos. Conta a história que um anjo lhe apareceu dizendo que daria à luz a uma menina que seria admirada por todos e escolhida por Deus para manifestar a todos os seus prodígios.

Rita queria ser religiosa mas seus pais escolherem para ela um esposo. A escolha não foi muito feliz pois Paolo Ferdinando não era um bom marido. Rita foi paciente e resignada mesmo sendo injuriada pelo esposo, sem motivo, e também espancada. Sua mansidão e docilidade ajudaram às suas vizinhas também casadas que iam com freqüência consolar-se com ela pois a achavam um exemplo de esposa. Rita lhes respondia: “Lembrai que, desde o momento em que recebemos nossos esposos, como maridos, aceitamo-los como nossos donos e senhores e assim lhes devemos amor, obediência e respeito, pois isso significa ser casada!

Sua fortaleza era Jesus Cristo. Vivia em oração fosse no sofrimento ou no silêncio. Foi mãe de gêmeos, os quais infelizmente herdaram o temperamento do pai. Depois de 20 anos de matrimônio, seu esposo se converteu pedindo-lhe perdão e prometendo mudar sua forma de ser. Rita o perdoou mas os amigos de Paolo não aceitaram essa mudança. Uma noite, quando não voltara para casa, Rita percebeu que algo tinha acontecido. No dia seguinte o encontram assassinado. Seus filhos juraram vingança e Rita, na sua compreensão, acreditava que mais valia salvar a alma do que viver muito tempo. Pediu ao Senhor que lhes tirasse a vida antes que cometessem um pecado mortal. E em pouco tempo os dois filhos de Rita morreram de uma enfermidade fatal. Rita, enquanto cuidava deles, falava sobre amor e perdão. E antes de morrerem, conseguiram perdoar os assassinos de seu pai.

Sozinha, retomou o sonho de menina de se tornar religiosa. Mas como havia se casado, e mesmo viúva, não era fácil. Ela voltou-se para a oração e uma noite, enquanto dormia, Rita ouviu a chamarem pelo nome. Acordou e foi ver quem era. Quando abriu a porta viu Santo Agostinho, São Nicolau Tolentino e São João Batista, de quem havia sido devota desde criança. Eles pediram à ela que os seguisse. Depois de correr pelas ruas da cidade, sentiu que a levantaram no ar e a empurraram suavemente em direção ao monastério de Santa Maria Madalena, em Cássia. Nessa hora, caiu em êxtase e quando se deu conta, estava dentro do monastério, embora todas as portas estivessem trancadas. Diante de tal milagre, as monjas agostinianas não mais lhe negaram a entrada.

Aceita na ordem, Rita foi posta à prova por suas superioras. Mas com admirável simplicidade, cumpria todas as tarefas. E por amor à Paixão de Cristo, a religiosa pediu ao Senhor que a deixasse participar de seus sofrimentos na cruz. Até que um dia, da coroa que cingia a cabeça da imagem de Jesus, desprendeu-se um espinho que se cravou na fronte de Rita, causando-lhe intensas dores até o dia de sua morte. Mas a ferida provocada foi acolhida como fonte de celestial doçura para ela. Enquanto que para as outras religiosas, era fonte de desgosto. Rita viveu seus últimos 14 anos de vida isolada das outras irmãs. Ela aceitou isso como um favor do Senhor. Redobrou suas penitências, jejuns e orações.

Quando morreu em 22 de maio de 1457, aos 76 anos de idade, a ferida cicatrizou e de seu corpo começou a exalar perfume. O Papa Leão XIII a canonizou em 1900.

Rita nasceu perto de Cássia, entre as montanhas e próxima à Assis, na Itália onde nasceram muitos santos como São Benedito, Santa Escolástica, São Francisco, Santa Clara entre outros.

sábado, 21 de maio de 2011

Maeve, Rainha Celta.

Hoje celebrava-se Maeve, a Rainha que se transformou em deusa celta da Sabedoria da Terra. Muito cultuada em Tara, na Irlanda. De Rainha passou a Deusa por ter exercido grande poder e fascínio entre seus súditos na terra. Difícil era não olhar para ela e se apaixonar. Tanto que seu nome em celta era Medhbh, ou “aquela que intoxica”.

Reinou sobre Connacht e participou efetivamente de combates. Na sua época, as mulheres não eram vistas como seres frágeis ou incapazes. Elas iam literalmente à luta. E ainda tinham o poder de escolher seus maridos e o direito de optar pelo divórcio, separação, caso estivessem insatisfeitas ou sentindo-se infelizes. Naturalmente, esse foi um período anterior ao Cristianismo, onde as mulheres exerciam um outro papel na sociedade.

Ficou para a posteridade como uma deusa guerreira pois costumava montar cavalos selvagens e vivia cercada por animais.

Se quiser entrar em sintonia com a energia dessa Deusa Celta, medite e procure visualizar Maeve. Pergunte a seus pássaros mensageiros o que precisa combater na sua vida e como absorver sua energia para alcançar seus objetivos.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Primeiro Concílio de Nicéia.


No dia 20 de maio do ano 325 acontecia o Primeiro Concílio de Nicéia que durou até o dia 25 de julho do mesmo ano. Foi a primeira conferência ecumênica de bispos da Igreja Cristã.

Esse Concílio foi convocado pelo Imperador Constantino I que após a vitória contra Licínio, um ano antes, onde conseguira unificar seu Império, também quis tornar a Igreja mais unida. O Concílio contou com a presença de cerca de 300 bispos de todas as regiões em que havia cristãos. E tratou de discutir as grandes controvérsias doutrinais do Cristianismo nos século IV e V.

O pontos discutidos foram:
1- a questão ariana;
2- a celebração da Páscoa;
3- o cisma de Melécio de Licópolis;
4- o batismo de heréticos;
5- o estatuto dos prisioneiros na perseguição de Licínio.

O arianismo, pregava que Jesus Cristo não era mais do que uma criatura, ainda que excelsa, e que não era de natureza divina. Quando isso ficou claro no Concílio, 300 bispos se opuseram a essa doutrina, pois ia de encontro a fé recebida pelos Apóstolos. Só houve dois votos a favor da tese de Ário, bispo de Alexandria. Então os Padres Conciliares, redigiram um símbolo de fé, encerrando essa questão, em que constava que Jesus é “da substância do Pai, Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro, gerado e não criado, homoousios tou Patrou (consubstancial ao Pai).”

Nesse concílio, também ficou acertada a data da Páscoa que seria depois da primeira lua cheia da primavera.

Os documentos produzidos neste Concílio são o Credo Niceno e os 20 Cânones. Estes representam a lista de escritos ou livros considerados como de Inspiração Divina. Entre os títulos dos Cânones do Concílio de Nicéia estão, entre os outros:

Cânon I - Eunucos podem ser recebidos entre os clérigos, mas não serão aceitos aqueles que se castram.
Cânon II - Referente a não promoção imediata ao presbiterato daqueles que provieram do paganismo.
Cânon III - Nenhum deles deverá ter uma mulher em sua causa, exceto sua mãe, irmã e pessoas totalmente acima de suspeita.

É considerado como o primeiro dos três Concílios fundamentais da Igreja Católica. Os outros dois são o Quarto Concílio de Latrão, em 1215, e o Concílio de Trento, de 1545-1563.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Santa Madre Paulina.

Santa Paulina é Amabile Lucia Visintainer. Nasceu na Itália, em 1865. Mas aos nove anos de idade veio para o Brasil com sua família e estabeleceu moradia em Nota Trento, em Santa Catarina.

Desde muito cedo Amabile se dedicava aos serviços religiosos da sua paróquia. Quando adolescente, teve um sonho com Nossa Senhora de Lourdes em que a Virgem lhe faz um pedido: É meu desejo que comeces uma obra. Dar-te-ei alguém que lhe possa auxiliar. Mais tarde mostrar-te-ei as Filhas que te quero confiar. Certo dia, uma senhora doente de câncer chega à cidade necessitando de ajuda. Amábile e sua amiga Virgínia são indicadas pela comunidade para cuidarem da doente. E para isso, lhes dão um casebre e um ministério. Tem início, a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição.

Aos 30 anos fez os votos e se tornou Irmã Paulina do Coração Agonizante de Jesus. Em 1903, se mudou para São Paulo, no Ipiranga, onde cuidou das crianças órfãs e de ex-escravos abandonados.

Em 1918 passou a se dedicar à oração e à vida contemplativa. Vinte anos mais tarde já estava com sérios problemas de saúde devido à diabetes. Chegou a ficar cega. Faleceu em 9 de julho de 1942.

Em 1991 foi beatificada pelo Papa João Paulo II, quando este foi à Florianópolis. A canonização, pelo mesmo Papa, aconteceu à 19 de maio de 2002 quando recebeu oficialmente o nome Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

“Sede bem humildes, confiais sempre e muito na Divina Providência: nunca, jamais, desanimeis embora venham ventos contrários. Novamente vos digo: confiai em Deus e em Maria Imaculada: permanecei firmes e adiante.”

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A Sombrinha Protetora.

A tradicional Sombrinha Indiana oferece proteção contra o sol. Na verdade, a pessoa que a Sombrinha abriga é considerada como o Sol por sua autoridade e dignidade.

No budismo, representa a proteção contra o calor do sofrimento, desejo e outras forças espirituais que também ferem. A Sombrinha também simboliza honra e respeito.

Sua cúpula é segurada para cima por um cabo, na vertical, como se fosse o eixo do mundo. É comum durante as procissões, carregarem uma Sombrinha sobre a imagem de uma divindade ou de uma pessoa importante, significando que aquele debaixo da Sombrinha é o centro do universo.

Na tradição chinesa, ela representa a elegância e a riqueza.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Hamsá, Mão de Fátima.

A Hamsá é um símbolo de poder temporal e espiritual, força proteção e dominação. É um talismã que tem a aparência da palma da mão com cinco dedos estendidos. É usado pelos praticantes do Judaísmo e do Islamismo contra o mau-olhado.

A Mão de Fátima é muito popular no Oriente Médio. No Islamismo, simboliza os cinco fundamentos da religião – fé, prece, peregrinação, jejum e caridade. O polegar representa o Profeta; o indicador, a Senhora Fátima; o do meio,seu marido Ali; e os dois últimos, seus filhos Hassan e Hussain.

Fátima era filha de Maomé e Aisha. Para os muçulmanos xiitas, ela tem o mesmo status que a Virgem Maria. É a mestra das Mulheres do Mundo. As mulheres xiitas costumam viajar para locais dedicados à Fátima em busca de ajuda ou de um pedido especial.

Já os judeus, o chamam de Mão de Miriam, numa referência à irmã de Moisés e de Aarão. Para estes, os cinco dedos simbolizam os cinco livros do Torá.

No entanto, acredita-se que o Hamsá sejam mais antigo que essas duas culturas. Achados arqueológicos indicam que esse símbolo foi usado pelo povo fenício e associado à deusa lunar Tanit, patrona da cidade de Cartago.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Querubins Vigilantes.

Hoje é dia dos Querubins, guardiãs da luz e das estrelas.

De acordo com os ensinamentos cristãos, os Querubins fazem parte de uma ordem de anjos “vigilantes”. No Gênesis, eles guardam o Éden perdido e o Antigo Testamento refere-se a eles como guardiãs da Glória Divina.

O nome em hebraico dos Querubins é Kerub e corresponde ao babilônico Karibu que quer dizer espírito de forma semi-humana, semi-animal, destinados a velar à porta dos templos e dos palácios. São os guardiãs do tesouro assim como o são os dragões à porta dos palácios chineses.

Na hierarquia celeste, os Querubins pertencem à ordem superior dos que se assentam imediatamente aos pés de Deus. Sua principal característica é o conhecimento, a sabedoria. Eles têm aptidão para conhecer e contemplar Deus, para receber os mais elevados dons de sua luz.

Na mitologia, os Querubins seriam as antigas deusas protetoras de Cannã transformadas em anjos pelas Escrituras, mas que seriam seres alados assexuados. Tanto na Síria quanto no Egito, esses seres guardavam a Árvore do Conhecimento, transformada depois nas Escrituras na Arca Sagrada guardada pelos Anjos.

domingo, 15 de maio de 2011

Maia e as Plêiades.

Hoje na Grécia se comemorava a deusa Maia e seu filho Hermes. A Maia grega é a versão ocidental de Maya, mãe de Buda.

Maia era uma deusa antiga e pré-helênica. Tida como sábia e na versão anciã. Seria guardiã da noite simbolizada pela maior estrela das Plêiades. Mas com as mudanças sociais e o crescimento do patriarcado, Maia foi perdendo seus atributos e considerada apenas uma deusa do verão, do calor e do crescimento.

Conta a mitologia, que ela e suas irmãs fugiram de Órion, o gigante, e se refugiaram no céu formando assim, o aglomerado das Plêiades.

O nome deste mês se chama Maio em homenagem à Maia.

sábado, 14 de maio de 2011

A Arca de Noé.

Segundo a Bíblia, há pouco mais de 6 milênios, Noé, sua mulher, seus filhos, as mulheres de seus filhos e dois de cada animal da Terra entraram numa embarcação que ficou conhecida como a Arca de Noé.

Conta a história que Deus estava decidido a acabar com o mundo por causa da perversidade humana. Seu plano era inundar o planeta e destruir toda a vida existente nele. Mas quis poupar Noé, por considerá-lo o único homem justo de sua geração na Terra. Deus teria pedido ao patriarca que construísse uma arca para salvar sua família e representantes de todos os animais e aves que existissem sobre a terra. Para cada espécie, dois exemplares, macho e fêmea. E para o sustento de todos, durante esse período, disse à Noé que armazenasse alimentos.

No mesmo dia em que todos entraram na embarcação começou o dilúvio: “... foram quebrados todos os fundamentos da grande profundidade e as janelas do céu foram abertas, e a chuva caiu sobre a terra por quarenta dias e quarenta noites.” A inundação cobriu as altas montanhas e todas as criaturas morreram. Apenas Noé, seus descendentes e os animais que carregou consigo sobreviveram.

Passados esses quarenta dias, as águas começaram a diminuir e os topos das montanhas emergiram. Noé enviou um corvo e depois uma pomba mas ambos voltaram. Sete dias depois, Noé enviou de novo uma pomba que retornou com uma folha de oliva no seu bico. As águas finalmente tinham abrandado. Mais sete dias, outra pomba foi solta e esta, não mais voltou. Noé, sua família e todos os animais saíram da arca. O patriarca então fez um sacrifício a Deus, que prometeu nunca mais lançar maldição à terra por causa do homem e nem iria destruí-la novamente dessa maneira. Para que se lembrasse dessa promessa, Deus colocou o Arco da Aliança nas nuvens e disse: “Sempre que houver nuvens sobre a Terra e o Arco aparecer, eu me lembrarei da eterna aliança entre Deus e todos os seres vivos de todas as espécies sobre a Terra.”

A história da Arca de Noé e do dilúvio já foi alvo de inúmeras pesquisas, investigações e discussões a respeito. Mas essa busca pela verdade poderia até parecer uma questão perdida se não fosse a crença que a maioria das pessoas têm sobre a Arca. Em 2004, por exempolo, foi feita uma pesquisa nos EUA para saber se as pessoas acreditavam ou não nessa história. O resultado mostrou que 60% delas acareditavam que a Arca de Noé é verdadeira. Talvez explique o fato da procura pela Arca nas montanhas de Ararat, onde a embarcação teria ido parar quando o dilúvio cessou, nunca se esgotar.



sexta-feira, 13 de maio de 2011

Nossa Senhora de Fátima.

Um dos maiores mistérios da Santa Sé foi revelado há 11 anos no dia 13 de maio de 2000. Num pronunciamento inesperado, o então Papa João Paulo II, diante de 800 mil pessoas, desmistificou um segredo guardado há décadas: o Terceiro Segredo de Fátima.

O teor da revelação causou espanto e surpresa. A maioria das pessoas esperava uma revelação apocalíptica, com previsões muito mais trágicas do que os tiros que atingiram João Paulo II em 13 de maio de 1981, que teriam sido previstos pela Santa em 1917.

Intelectuais e teólogo italianos, na época, chegaram a criticar o anúncio da revelação do “terceiro segredo” como forma de render um culto exagerado da personalidade do Papa João Paulo II por parte do Vaticano, apoiado no enorme poder de mídia do pontífice.

O Papa escolhera o dia 13 de maio de 2000 para beatificar duas das três crianças de Fátima, revelar o tão esperado segredo e agradecer à Virgem o fato de ter sobrevivido ao atentado que sofreu também num dia 13 de maio.
Confira as 3 mensagens de Fátima:
1ª. A visão do inferno: “Mergulhados no fogo, havia demônios e almas, como se fossem brasas, com forma humana (...), entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizavam e faziam estremecer de pavor”.

2ª. As duas guerras mundiais e a conversão da Rússia: “A guerra vai acabar, mas começará outra pior... Se derem ouvidos aos meus pedidos, a Rússia se converterá e haverá paz”.

3ª. O atentado ao Papa: “O bispo vestido de branco, que caminha para a cruz entre os cadáveres, cai por terra com morte, sob os tiros de uma arma de fogo”.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Festival de Shashti.

Na Índia comemora-se hoje o Festival de Shashti.

Na mitologia hindu, Shashti era um Deus das Florestas. Ele as protegia dos saqueadores e caçadores de animais que lá viviam.

Shashti se assemelha ao Deus Pã, cultuado na mitologia grega e romana.

Se você puder, queime um incenso de ervas e depois jogue as cinzas num jardim. Esse ato simboliza o encontro de Shashti com a mãe natureza.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O Taoísmo e as Flores.

As Flores produzem um Chi e representam crescimento, satisfação, recomeços prósperos, boa sorte e sucesso. Conheça os oito símbolos florais do Taoísmo.

Crisântemo: Representa o outono no simbolismo das quatro estações. E é o símbolo da felicidade.









Ameixeira: Simboliza a longevidade e o casamento feliz. Representa o inverno. O sábio Lao-Tsé nasceu sob um ameixeira. Ela era o símbolo dos samurais no Japão.







 

Peônia: A flor completamnte aberta simboliza riqueza, dignidade e amor. Foi escolhida a flor imperial da China e representa a primavera.









Lótus: Representa o verão no simbolismo das quatro estações. A xomunidade Amadista, uma grande sociedade secreta taoísta do século IV na China, usava o lótus branco como seu emblema.








  
Narciso: Floresce no Ano Novo Chinês e é o símbolo da alegria, boa sorte e casamento feliz. O narciso branco é sagrado na China.








Pêssego: É tida como o ingrediente principal do elixir da imortalidade.








Orquídea: Para os chineses representa o luxo, harmonia, refinamento e beleza. Simboliza fertilidade e também é usada como amuleto contra a esterilidade.









Bambu: Seu caule reto atinge o céu, o espaço entre os nos no caule e o buraco no centro dele simbolizam os objetivos das práticas meditativas do Taoísmo.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Tien Hou, Rainha do Céu.

Na China, hoje, celebrava-se a Rainha do Céu, a Deusa do Oceano e da Estrela do Norte, Tien Hou.
Essa deusa também é protetora dos marinheiros e dos pescadores. E apesar de ser uma deusa que rege a água, ela flutuava com as nuvens, consultando os ventos para descobrir e salvar os marinheiros que estivessem em perigo.

Conta a mitologia que Tien Hou foi uma mortal chamada Lin Moniang e que seus quatro irmãos eram todos marinheiros, cada um tinha seu próprio barco. Um dia Lin teria entrado em coma e sua mãe tentado reanimá-la, conseguindo. Mas a deusa não gostou de ser acordada. Naquele mesmo dia, ao final da tarde, só retornaram para casa três dos seus irmãos. Eles disseram que seus barcos tinham sido quase destruídos pela tempestade no mar mas que uma visão da irmã os levara para um lugar seguro. Mas o quarto irmão, nunca mais voltou. Talvez se Lin não tivesse sido acordada antes da hora.

Hoje os marinheiros costumam jogar flores ao mar para pedir a proteção de Tien Hou. Se você puder, jogue também flores ao mar ou num rio e peça à Deusa que afaste as névoas de seu caminho mostrando um porto seguro.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Lemúria Romana.

Hoje se comemorava em Roma os Lêmures, espíritos dos mortos que voltavam para visitar suas famílias e casas.

Os familiares para homenageá-los preparavam e ofereciam as comidas que eram de seu agrado enquanto vivos. E nesse dia, as pessoas procuravam se purificar de qualquer ressentimento ou mágoa que tivessem em relação às pessoas falecidas. Essa purificação era feita por meio do perdão e da reconciliação.

Quando a pessoa que já havia falecido mas não tinha túmulo, o chefe da família recitava uma oração nove vezes e oferecia feijões pretos. Os feijões representavam o poder de regeneração.

Essa atenção dada aos já falecidos foi instituída por Rômulo para apaziguar a alma de Remo, a quem havia assassinado. Quando uma epidemia assolou Roma, Rômulo consultou o Oráculo que o aconselhou que fossem feitas festas anuais para afastar os mortos que podiam estar assombrando a cidade. Rômulo então instituiu o Festival das Lemúrias, que duravam 3 noites. Durante esses dias, os templos das divindades ficavam fechados e era proibido realizar casamentos.

Hoje é uma boa data para você reverenciar algum antepassado seu. Se puder, pegue uma foto dele e a coloque ao lado de um vaso com flores. Acenda uma vela branca, um incenso de rosas e ore pela paz do seu espírito. Agradeça-lhe pela linhagem e o exemplo que deixaram.

domingo, 8 de maio de 2011

Dia das Mães.

Hoje, aqui no Brasil, se comemora o Dia das Mães.

A origem desta data tem quase um século. Tudo começou quando uma jovem camponesa norte-americana chamada Anna Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Suas amigas, preocupadas com seu sofrimento, tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Anna com uma festa. Anna quis que essa homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. E essa ideia fortalecia os laços familiares e o respeito pelos pais.

Foram três anos lutando para que fosse criado o Dia das Mães até que em 26 de abril de 1910 ela conseguiu que o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporasse esse dia ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Pouco tempo depois os outros estados norte-americanos também aderiram à comemoração. Em 1914, o 9 de maio, como o Dia das Mães, foi oficializado pelo então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson.

Durante a primeira missa, Ana enviou 500 cravos brancos para a Igreja de Crafton e um telegrama declarando que todos deveriam receber a flor. E para aqueles que tinham mãe falecida, deveriam receber duas flores. Para Anna, o cravo branco representa a pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Druante anos, mais de 10 mil cravos foram enviados por Anna para a Igreja. Posteriormente, os cravos passram a ser comercializados.

O sonho de Anna fora realizado mas com a popularidade do Dia das Mães, se tornou um dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para aqueles que vendiam cravos brancos. Anna tentou cancelar essa data em 1923 mas não teve sucesso.

A homenagem às mães é antiga. Na grécia por exemplo, a entrada da primavera era festejada em honra à Mãe dos Deuses, Rhea. No século XVII, a Inglaterra dedicou o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia elas não trabalhavam. Tinham permissão para ficarem em casa com saus mães.

No Brasil, o Dia das Mães foi oficializado em 1932 pelo então presidente do país, Getúlio Vargas. Ficou decidido que a comemoração seria no segundo domingo do mês de maio. E em 1947, passou a fazer parte também do calendário católico.

Feliz dia das Mães!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...