terça-feira, 31 de julho de 2012

Santo Inácio de Loyola.


Hoje é dia de Santo Inácio de Loyola. Foi um nobre espanhol que converteu-se aos 30 anos de idade, depois de uma breve mas brilhante carreira nas armas, e fundou a Companhia de Jesus. 

Alma profundamente militar, quis dotar a Igreja de uma milícia nova, aguerrida e disciplinada, para a defesa da glória de Deus e a conquista das almas. 

No século em que o protestantismo arrebatou à verdadeira Religião um terço da Europa, Santo Inácio foi sem dúvida o lutador suscitado pela Providência para atender de modo pleno às necessidades da Igreja.


Oração de Santo Inácio
Tomai, Senhor, e recebei
Toda a minha liberdade, a minha memória também.
O meu entendimento e toda a minha vontade
Tudo o que tenho e possuo, vós me destes com amor.
Todos os dons que me destes, com gratidão vos devolvo
Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade.
Dai-me somente, o vosso amor, vossa graça
Isto me basta, nada mais quero pedir.

Alma de Cristo
Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro de vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que eu me afaste de vós.
Do espírito maligno, defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me e mandai-me ir para vós
para que, com os vossos santos, vos louve por todos os séculos dos séculos.
Amém.


segunda-feira, 30 de julho de 2012

Progressão dos Espíritos - 2.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VII _ Progressão dos Espíritos - Parte II

120. Todos os Espíritos passam pela fieira do mal para chegar ao bem?

— Não pela fieira do mal, mas pela da ignorância.

121. Por que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem, e outros, o do mal?

— Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, ou seja, tão aptos para o bem quanto para o mal; os que são maus, assim se tornaram por sua vontade.

122. Como podem os Espíritos, em sua origem, quando ainda não têm a consciência de si mesmos, ter a liberdade de escolher entre o bem e o mal? Há neles um princípio, uma tendência qualquer que os leve mais para um lado que para outro?

— O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire consciência de si mesmo. Não haveria Uberdade, se a escolha fosse provocada por uma causa estranha à vontade do Espírito. A causa não esta nele, mas no exterior, nas influências a que ele cede em virtude de sua espontânea vontade. Esta é a grande figura da queda do homem e do pecado original: uns cederam à tentação e outros a resistiram.

122. a) De onde vêm as influências que se exercem sobre ele?

— Dos Espíritos imperfeitos que procuram envolvê-lo e dominá-lo, e que ficam felizes de afazer sucumbir. Foi o que se quis representar na figura de Satanás.

122. b) Esta influência só se exerce sobre o Espírito na sua origem?

— Segue-o na vida de Espírito, até que ele tenha de tal maneira adquirido o domínio de si mesmo que os maus desistam de obsediá-lo.

123. Por que Deus permitiu que os Espíritos pudessem seguir o caminho do mal?

— Como ousais pedir a Deus conta dos seus atos? Pensais poder penetraras seus desígnios? Entretanto, podeis dizer: A sabedoria de Deus se encontra na Uberdade de escolha que concede a cada um, porque assim cada um tem o mérito de suas obras.

124. Havendo Espíritos que, desde o princípio, seguem o caminho do bem absoluto, e outros, o do mal absoluto, haverá gradações, sem dúvida, entre esses dois extremos?

— Sim, por certo, e constituem a grande maioria.

125. Os Espíritos que seguiram o caminho do mal poderão chegar ao mesmo grau de superioridade que os outros?

— Sim, mas as eternidades serão mais longas para eles.

Comentário de Kardec: Por essa expressão, as eternidades, devemos entender a idéia que os Espíritos inferiores fazem da perpetuidade dos seus sofrimentos, cujo termo não lhes é dado ver. Essa idéia se renova em todas as provas nas quais sucumbem.

126. Os Espíritos que chegam ao supremo grau, depois de passarem pelo mal, têm menos mérito que os outros aos olhos de Deus?

— Deus contempla os extraviados com o mesmo olhar, e os ama a todos do mesmo modo. Eles são chamados maus porque sucumbiram; antes, não eram mais que simples Espíritos.

127. Os Espíritos são criados iguais quanto às faculdades intelectuais?

— São criados iguais, mas não sabendo de onde vêm, é necessário que o livre-arbítrio se desenvolva. Progridem mais ou menos rapidamente, tanto em inteligência como em moralidade.

Comentário de Kardec: Os Espíritos que seguem desde o princípio o caminho do bem nem por isso são Espíritos perfeitos; se não têm más tendências, não estão menos obrigados a adquirir a experiência e os conhecimentos necessários à perfeição. Podemos compará-los a crianças que, qualquer que seja a bondade dos seus instintos naturais têm necessidade de desenvolver-se, de esclarecer-se e não chegam sem transição da infância à maturidade. Assim como temos homens que são bons e outros que são maus desde a infância, há Espíritos que são bons ou maus desde o princípio com a diferença capital de que a criança traz os seus instintos formados, enquanto o Espírito na sua formação, não possui mais maldade que bondade. Ele tem todas as tendências, e toma uma direção ou outra em virtude do seu livre-arbítrio.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.



domingo, 29 de julho de 2012

Santa Marta.



Santa Marta era irmã de São Lázaro e de Santa Maria Madalena. Ela teria recebido por mais de uma vez a visita de Jesus em sua casa. É tida como padroeira das cozinheiras e das donas de casa. 

Segue abaixo uma novena dedicada à Santa Marta:

Santa Marta, Santa minha, recolho-me a sua proteção e sua bondade e amor e em troca de seu afeto ofereço esta luz que acenderei todas as terças feiras.
Conceda-me em minhas aflições pela imensa luta que tivestes ao hospedar ao Senhor.
Interceda por mim e por toda minha família, para conceder-nos o amor de Deus,
Peço que tenha misericórdia infinita pelo favor que hoje lhe suplico ( pede-se a graça ). Rogo-lhe que venha em meu auxilio, que vença as dificuldades assim como vencestes o Dragão que tinha em seus pés.
Amém.

Esta oração se faz as terças feiras, acende-se uma vela, e ao terminar a oração apaga-se, e só deixa queimar toda a vela na ultima terça feira. Cada vez que rezar faça uma cópia e dê a uma pessoa junto com uma vela. 


Diz-se que esta Santa concede o pedido, por mais difícil que seja, mesmo antes de terminar a novena.

sábado, 28 de julho de 2012

Oração Contra os Ímpios.

Salmo 35.

1. Pleiteia, SENHOR, com aqueles que pleiteiam comigo; peleja contra os que pelejam contra mim.

2. Pega do escudo e da rodela, e levanta-te em minha ajuda.

3. Tira da lança e obstrui o caminho aos que me perseguem; dize à minha alma: Eu sou a tua salvação.

4. Sejam confundidos e envergonhados os que buscam a minha vida; voltem atrás e envergonhem-se os que contra mim tentam mal.

5. Sejam como a moinha perante o vento; o anjo do SENHOR os faça fugir.

6. Seja o seu caminho tenebroso e escorregadio, e o anjo do SENHOR os persiga.

7. Porque sem causa encobriram de mim a rede na cova, a qual sem razão cavaram para a minha alma.

8. Sobrevenha-lhe destruição sem o saber, e prenda-o a rede que ocultou; caia ele nessa mesma destruição.

9. E a minha alma se alegrará no SENHOR; alegrar-se-á na sua salvação.

10. Todos os meus ossos dirão: SENHOR, quem é como tu, que livras o pobre daquele que é mais forte do que ele? Sim, o pobre e o necessitado daquele que o rouba.

11. Falsas testemunhas se levantaram; depuseram contra mim coisas que eu não sabia.

12. Tornaram-me o mal pelo bem, roubando a minha alma.

13. Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, as minhas vestes eram o saco; humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio.

14. Portava-me como se ele fora meu irmão ou amigo; andava lamentando e muito encurvado, como quem chora por sua mãe.

15. Mas eles com a minha adversidade se alegravam e se congregavam; os abjetos se congregavam contra mim, e eu não o sabia; rasgavam-me, e não cessavam.

16. Com hipócritas zombadores nas festas, rangiam os dentes contra mim.

17. Senhor, até quando verás isto? Resgata a minha alma das suas assolações, e a minha predileta dos leões.

18. Louvar-te-ei na grande congregação; entre muitíssimo povo te celebrarei.

19. Não se alegrem os meus inimigos de mim sem razão, nem acenem com os olhos aqueles que me odeiam sem causa.

20. Pois não falam de paz; antes projetam enganar os quietos da terra.

21. Abrem a boca de par em par contra mim, e dizem: Ah! Ah! os nossos olhos o viram.

22. Tu, SENHOR, o tens visto, não te cales; Senhor, não te alongues de mim:

23. Desperta e acorda para o meu julgamento, para a minha causa, Deus meu e Senhor meu.

24. Julga-me segundo a tua justiça, SENHOR Deus meu, e não deixes que se alegrem de mim.

25. Não digam em seus corações: Ah! alma nossa! Não digam: Nós o havemos devorado.

26. Envergonhem-se e confundam-se à uma os que se alegram com o meu mal; vistam-se de vergonha e de confusão os que se engrandecem contra mim.

27. Cantem e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: O SENHOR seja engrandecido, o qual ama a prosperidade do seu servo.

28. E assim a minha língua falará da tua justiça e do teu louvor todo o dia.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Progressão dos Espíritos - 1.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VII _ Progressão dos Espíritos - Parte I

114. Os Espíritos são bons ou maus por natureza, ou são eles mesmos que procuram melhorar-se?

— Os Espíritos mesmos se melhoram; melhorando-se, passam de uma ordem inferior para uma superior.

115. Uns Espíritos foram criados bons e outros maus?

— Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, sem conhecimento. Deu a cada um deles uma missão, com o fim de os esclarecer e progressivamente conduzir à perfeição, pelo conhecimento da verdade e para os aproximar dele. A felicidade eterna e sem perturbações, eles a encontrarão nessa perfeição. Os Espíritos adquirem, o conhecimento passando pelas provas que Deus lhes impõe. Uns aceitam essas provas com submissão e chegam mais prontamente ao seu destino; outros não conseguem sofrê-las sem lamentação, e assim permanecem, por sua culpa, distanciados da perfeição e da felicidade prometida.

115. a) Segundo isto, os Espíritos, na sua origem, se assemelham a crianças, ignorantes e sem experiência, mas adquirindo pouco a pouco os conhecimentos que lhes faltam, ao percorrer as diferentes fases da vida?

— Sim, a comparação é justa: a criança rebelde permanece ignorante e imperfeita; seu menor ou maior aproveitamento depende da sua docilidade. Mas a vida do homem tem fim, enquanto a dos Espíritos se estende ao infinito.

116. Há Espíritos que ficarão perpetuamente nas classes inferiores?

— Não; todos se tomarão perfeitos. Eles mudam, embora devagar, porque, como já dissemos uma vez, um pai justo e misericordioso não pode banir eternamente os seus filhos. Querias que Deus, tão grande, tão justo e tão bom, fosse pior que vós mesmos?

117. Depende dos Espíritos apressar o seu avanço para a perfeição?

— Certamente. Eles chegam mais ou menos rapidamente, segundo o seu desejo e a sua submissão à vontade de Deus. Uma criança dócil não se instrui mais depressa que uma rebelde?

118. Os Espíritos podem degenerar?

— Não. À medida que avançam, compreendem o que os afasta da perfeição. Quando o Espírito concluiu uma prova, adquiriu conhecimento e não mais o perde. Pode permanecer estacionário, mas não retrogradar.

119. Deus pode livrar os Espíritos das provas que devem sofrer para chegar à primeira ordem?

— Se eles tivessem sido criados perfeitos, não teriam merecimento para gozar os benefícios dessa perfeição. Onde estaria o mérito sem a luta? De outro lado, a desigualdade existente entre eles é necessária à sua personalidade, e a missão que lhes cabe nos diferentes graus está nos desígnios da Providência, com vistas à harmonia do Universo.

Comentário de Kardec: Como, na vida social, todos os homens podem chegar aos primeiros postos, também poderíamos perguntar por que motivo o soberano de um país não faz, de cada um dos seus soldados, um general; por que todos os empregados subalternos não são superiores; por que todos os alunos não são professores. Ora, entre a vida social e a espiritual, existe ainda a diferença de que a primeira é limitada e nem sempre permite a escalada de todos os seus degraus, enquanto a segunda é indefinida e deixa a cada um a possibilidade de se elevar ao posto supremo.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.

Continua...

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Religião X Espiritualidade.

Não existe uma religião, mas centenas. Enquanto que espiritualidade, é apenas uma.

A religião é para os que dormem. A espiritualidade é para os que estão despertos.

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados. A espiritualidade é para os que prestam atenção em sua Voz Interior.

A religião tem um conjunto de regras dogmáticas. A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta. A espiritualidade lhe dá Paz Interior.

A religião fala de pecado e de culpa. Ao passo que a espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro".

A religião reprime tudo, te faz falso. A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!

A religião não é Deus. A espiritualidade é Tudo e, portanto, é Deus.

Enviada por Rosana Brigagão.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

São Tiago, o Maior.


Hoje é dia de São Tiago, o Maior. Também conhecido como Santiago de Compostela.

Irmão de São João Evangelista, Santiago teve o privilégio de estar presente nos episódios da Transfiguração de Jesus e na Agonia do Horto. Foi o primeiro dos doze Apóstolos a sofrer o martírio, no ano 44 de nossa Era. 

Seu sepulcro, em Compostela, norte da Espanha, é até hoje centro de peregrinação mundialmente famoso. Leia mais no post de 2010.  

Segue abaixo uma oração à Santiago Compostela:

Apóstolo Santiago, escolhido entre os primeiros, tu foste o primeiro a beber no cálice do Senhor, e és o grande protetor dos peregrinos; faz-nos fortes na fé e alegre na esperança, em nosso caminhar de peregrino seguindo o caminho da vida de Cristo e alenta-nos para que finalmente, alcancemos a glória de Deus Pai.
Assim seja.




terça-feira, 24 de julho de 2012

Agradecimento.

Salmo 34.

1. [Salmo de Davi, quando mudou o seu semblante perante Abimeleque, e o expulsou, e ele se foi.] Louvarei ao SENHOR em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca.

2. A minha alma se gloriará no SENHOR; os mansos o ouvirão e se alegrarão.

3. Engrandecei ao SENHOR comigo; e juntos exaltemos o seu nome.

4. Busquei ao SENHOR, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores.

5. Olharam para ele, e foram iluminados; e os seus rostos não ficaram confundidos.

6. Clamou este pobre, e o SENHOR o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias.

7. O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.

8. Provai, e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.

9. Temei ao SENHOR, vós, os seus santos, pois nada falta aos que o temem.

10. Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas àqueles que buscam ao SENHOR bem nenhum faltará.

11. Vinde, meninos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do SENHOR.

12. Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem?

13. Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem o engano.

14. Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a.

15. Os olhos do SENHOR estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor.

16. A face do SENHOR está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles.

17. Os justos clamam, e o SENHOR os ouve, e os livra de todas as suas angústias.

18. Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito.

19. Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas.

20. Ele lhe guarda todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra.

21. A malícia matará o ímpio, e os que odeiam o justo serão punidos.

22. O SENHOR resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele confiam será punido.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Mensagem Budista das Flores.

Em um antigo mosteiro budista, um jovem monge questiona o mestre ...

Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.

Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.

- Pois viva como as flores! - advertiu o mestre. - Como é viver como as flores? - perguntou o discípulo.

Repare nas flores, continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim.

Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas.

Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável... ...mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.

É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.

Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimento.

Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.

domingo, 22 de julho de 2012

Santa Maria Madalena, Penitente.


Santa Maria Madalena, esteve ao lado de Nossa Senhora aos pés da cruz de Jesus. Também esteve no alto do Calvário. Foi a primeira a reconhecer Nosso Senhor no Domingo de Aleluia e anunciou aos Apóstolos a Ressurreição. 

De acordo com a história, morreu no sul da França, com seus irmãos São Lázaro e Santa Marta. 

Protetora das mães solteira, segue abaixo uma oração à Santa Maria Madalena:

Santa Maria Madalena, vós que ouvistes da boca de Jesus estas palavras: “Muito lhe foi perdoado porque muito amou... vai em paz, os teus pecados estão perdoados”, alcançai-me de Deus o perdão dos meus erros e pecados, deixai-me participar do ardente amor que inflamou o vosso coração, para que eu seja capaz de seguir a Cristo até o Calvário, se for preciso e assim, mais cedo ou mais tarde, tenha a felicidade de abraçar e beijar os pés do divino Mestre. Como Jesus ressuscitado vos chamou pelo nome: “Maria!” ele chame também pelo meu nome.., e eu nunca mais me desvie do seu amor, com recaídas nos erros do meu passado. 

Santa Maria Madalena, eu vos peço esta graça, por Cristo Nosso Senhor.
Amém.

sábado, 21 de julho de 2012

Signo Solar, Leão.

Hoje tem início o signo de Leão no céu astrológico. Todos os que nasceram entre os dias 21 de julho e 20 de agosto tem o Sol em Leão.

Veja abaixo as características resumidas do aspecto solar de cada signo do zodíaco.

SOL – é sua personalidade e essência. Você é, em essência, seu SOL. Possui as qualidades do signo onde ele está, que serão expressadas em maior ou menor grau e de formas específicas, de acordo com o restante do teu mapa.

Sol em Áries: sua missão é ser pioneiro. Suas principais características são: iniciativa, independência, coragem, impaciência, precipitação e agressividade.

Sol em Touro: sua missão é manter. Suas principais características são: praticidade, materialismo, sensualidade, teimosia, lealdade e necessidade de conforto.


Sol em Gêmeos: sua missão é comunicar. Suas principais características são: adaptabilidade, flexibilidade, curiosidade, comunicação, inconstância e superficialidade.

Sol em Câncer: sua missão é nutrir. Suas principais características são: emotividade, saudosismo, ser maternal, pessimismo, magoar-se facilmente e sensibilidade.

Sol em Leão: sua missão é brilhar. Suas principais características são: romantismo, criatividade, orgulho, egocentrismo, otimismo e generosidade.

Sol em Virgem: sua missão é ser útil. Suas principais características são: praticidade, método, detalhismo, crítica, pesquisa e preocupação com higiene e saúde.


Sol em Libra: sua missão é compartilhar. Suas principais características são: busca da paz e da harmonia, diplomacia, indecisão, dependência, necessidade de se relacionar e sensibilidade.

Sol em Escorpião: sua missão é transformar. Suas principais características são: intensidade, controle, extremismo, profundidade, possessividade e intuição.

Sol em Sagitário: sua missão é ir além dos horizontes. Suas principais características são: otimismo, busca da liberdade, aventura, franqueza, entusiasmo e impaciência.

Sol em Capricórnio: sua missão é trabalhar. Suas principais características são: cautela, praticidade, planejamento, seriedade, melancolia e realismo.

Sol em Aquário: sua missão é socializar. Sua principais características são: busca da liberdade, inventividade, independência, imprevisibilidade, rebeldia e impessoalidade.

Sol em Peixes: sua missão é servir. Suas principais características são: sensibilidade, compreensão, intuição, escapismo, impressionabilidade e emotividade.

Fonte: Viti Astrologia.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Escala Espírita IV.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VI - Escala Espírita - Parte IV

PRIMEIRA ORDEM: ESPÍRITOS PUROS

112. Caracteres Gerais. Nenhuma influência da matéria. Superioridade intelectual e moral absoluta, em relação aos Espíritos das outras ordens.

113. Primeira classe. Classe Única — Percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Havendo atingido a soma de perfeições de que é suscetível a criatura, não têm mais provas nem expiações a sofrer. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, vivem a vida eterna, que desfrutam no seio de Deus.

Gozam de uma felicidade inalterável, porque não estão sujeitos nem às necessidades nem às vicissitudes da vida material, mas essa felicidade não é a de uma ociosidade monótona, vivida em contemplação perpétua. São os mensageiros e os ministros de Deus, cujas ordens executam, para a manutenção da harmonia universal. Dirigem a todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudam-nos a se aperfeiçoarem e determinam as suas missões. Assistir os homens nas suas angústias, incitá-los ao bem ou à expiação das faltas que os distanciam da felicidade suprema é para eles uma ocupação agradável. São, às vezes, designados pêlos nomes de anjos, arcanjos ou serafins.

Os homens podem comunicar-se com eles, mas bem presunçoso seria o que pretendesse tê-los constantemente às suas ordens.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.

Continua...

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Sussurros de Deus.

Um homem sussurrou: “Deus, fala comigo!” E então cantou um passarinho. Mas o homem não escutou.

Então o homem gritou: “Deus, fala comigo!” E então se ouviram trovões através de um colchão de nuvens. Mas, de novo, o homem não escutou...

O homem olhou ao seu redor e disse: “Deus, deixe-me vê-Lo.” E uma estrela brilhou no firmamento como nunca havia brilhado. Mas o homem não olhou para o céu e não a viu...

Então, o homem indignado, fortemente gritou: “Deus, deixe-me ver um milagre!” E nasceu seu filho! Mas o homem não se deu conta da nova e irrepetível vida que começava...

Então, gritou desesperado: “Deus, toque-me, deixe-me senti-Lo.” Nesse momento, Deus desceu do céu e tocou o homem em sua bochecha suavemente. Mas o homem tirou a linda borboleta de sua bochecha e seguiu seu caminho.

Isto nos deve recordar que Deus sempre está ao nosso lado, em todos os momentos, no grande e no singelo, até nas coisas que não prestamos muita atenção.

Mensagem enviada por Teresa Gavinho.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Ação de Graças pelo Perdão das Culpas.

Salmo 32.

1. Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
2. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano.

3. Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia.

4. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá.)

5. Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)

6. Por isso, todo aquele que é santo orará a ti, a tempo de te poder achar; até no transbordar de muitas águas, estas não lhe chegarão.

7. Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento. (Selá.)

8. Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos.

9. Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se cheguem a ti.

10. O ímpio tem muitas dores, mas àquele que confia no SENHOR a misericórdia o cercará.

11. Alegrai-vos no SENHOR, e regozijai-vos, vós os justos; e cantai alegremente, todos vós que sois retos de coração.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Escala Espírita III.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VI - Escala Espírita - Parte III

SEGUNDA ORDEM: BONS ESPÍRITOS

107. Caracteres Gerais. Predomínio do Espírito sobre a matéria; desejo do bem. Suas qualidades e seu poder de fazer o bem estão na razão do grau que atingiram: uns possuem a ciência, outros a sabedoria e a bondade; os mais adiantados juntam ao seu saber as qualidades morais. Não estando ainda completamente desmaterializados, conservam mais ou menos, segundo sua ordem, os traços da existência corpórea, seja na linguagem, seja nos hábitos, nos quais se encontram até mesmo algumas de suas manias. Se não fosse assim, seriam Espíritos perfeitos.

Compreendem Deus e o infinito e gozam já da felicidade dos bons. Sentem-se felizes quando fazem o bem e quando impedem o mal. O amor que os une é para eles uma fonte de inefável felicidade, não alterada pela inveja nem pêlos remorsos, ou por qualquer das más paixões que atormentam os Espíritos imperfeitos; mas terão ainda de passar por provas, até atingirem a perfeição absoluta.

Como Espíritos, suscitam bons pensamentos, desviam os homens do caminho do mal, protegem durante a vida aqueles que se tornam dignos, e neutralizam a influência dos Espíritos imperfeitos sobre os que não se comprazem nelas.

Quando encarnados, são bons e benevolentes para com os semelhantes; não se deixam levar pelo orgulho, nem pelo egoísmo, nem pela ambição; não provam ódio, nem rancor, nem inveja ou ciúme, fazendo o bem pelo bem.

A esta ordem pertencem os espíritos designados, nas crenças vulgares, pelos nomes de bons gênios, gênios protetores, Espíritos do bem. Nos tempos de superstição e de ignorância, foram considerados divindades benfazejas.

Podemos dividi-los em quatro grupos principais:

108. Quinta classe. Espíritos Benévolos — Sua qualidade dominante é a bondade; gostam de prestar serviços aos homens e de os proteger; mas o seu saber é limitado: seu progresso realizou-se mais no sentido moral que no intelectual.

109. Quarta classe. Espíritos Sábios — O que especialmente os distingue é a amplitude dos conhecimentos. Preocupam-se menos com as questões morais do que com as científicas, para as quais têm mais aptidão; mas só encaram a Ciência pela sua utilidade, livres das paixões que são próprias dos Espíritos imperfeitos.

110. Terceira classe. Espíritos Prudentes — Caracterizam-se pelas qualidades morais da ordem mais elevada. Sem possuir conhecimentos ilimitados, são dotados de uma capacidade intelectual que lhes permite julgar com precisão os homens e as coisas.

111. Segunda classe. Espíritos Superiores — Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem, que só transpira benevolência, é sempre digna, elevada, e freqüentemente sublime. Sua superioridade os torna, mais que os outros, aptos a nos proporcionar as mais justas noções sobre as coisas do mundo incorpóreo, dentro dos limites do que nos é dado conhecer. Comunicam-se voluntariamente com os que procuram de boa fé a verdade e cujas almas estejam bastante libertas dos liames terrenos, para a compreender; mas afastam-se dos que são movidos apenas pela curiosidade ou que, pela influência da matéria, se desviam da prática do bem.

Quando, por exceção, se encarnam na Terra, é para cumprir uma missão de progresso, e então nos oferecem o tipo de perfeição a que a humanidade pode aspirar neste mundo.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.

Continua...

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Nossa Senhora do Carmo.


Hoje é dia de Nossa Senhora do Carmo, ou  do Monte Carmelo. A palavra "Carmelo" significa jardim. 

Conta a tradição que o profeta Elias foi viver como eremita em uma gruta no Monte Carmelo, levando uma vida de oração e silêncio. O profeta teria visto, séculos antes da vinda de Jesus ao mundo, Maria simbolizada numa nuvem. Seu estilo de vida teria inspirado os primeiros religiosos da Ordem.

O Escapulário do Carmo é a marca da devoção à Nossa Senhora. Saiba mais no post de 2011 do blog. 

Segue abaixo uma oração à Nossa Senhora do Carmo:


"Ó Senhora do Carmo, revestido de vosso escapulário, eu vos peço que ele seja para mim sinal de vossa maternal proteção, em todas as necessidades, nos perigos e nas aflições da vida. Acompanhai-me com vossa intercessão, para que eu possa crescer na Fé, Esperança e Caridade, seguindo a Jesus e praticando Sua Palavra. Ajudai-me, ó mãe querida, para que, levando com devoção vosso santo Escapulário, mereça a felicidade de morrer piedosamente com ele, na graça de Deus, e assim, alcançar a vida eterna. Amém."




domingo, 15 de julho de 2012

O Laço e o Abraço!


Meu Deus! Como é engraçado!

Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma fita dando voltas.

Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.

É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.

É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço.

E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?

Vai escorregando... devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,

deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.

E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.

Então o amor e a amizade são isso...

Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.

Mário Quintana

Enviado por Zezé.

sábado, 14 de julho de 2012

Deus é a Fortaleza dos Justos.


Salmo 31.

1. Em ti, SENHOR, confio; nunca me deixes confundido. Livra-me pela tua justiça.

2. Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa; sê a minha firme rocha, uma casa fortíssima que me salve.

3. Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; assim, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me.

4. Tira-me da rede que para mim esconderam, pois tu és a minha força.

5. Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, SENHOR Deus da verdade.

6. Odeio aqueles que se entregam a vaidades enganosas; eu, porém, confio no SENHOR.

7. Eu me alegrarei e regozijarei na tua benignidade, pois consideraste a minha aflição; conheceste a minha alma nas angústias.

8. E não me entregaste nas mãos do inimigo; puseste os meus pés num lugar espaçoso.

9. Tem misericórdia de mim, ó SENHOR, porque estou angustiado. Consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu ventre.

10. Porque a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força descai por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem.

11. Fui opróbrio entre todos os meus inimigos, até entre os meus vizinhos, e horror para os meus conhecidos; os que me viam na rua fugiam de mim.

12. Estou esquecido no coração deles, como um morto; sou como um vaso quebrado.

13. Pois ouvi a murmuração de muitos, temor havia ao redor; enquanto juntamente consultavam contra mim, intentaram tirar-me a vida.

14. Mas eu confiei em ti, SENHOR; e disse: Tu és o meu Deus.

15. Os meus tempos estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem.

16. Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; salva-me por tuas misericórdias.

17. Não me deixes confundido, SENHOR, porque te tenho invocado. Deixa confundidos os ímpios, e emudeçam na sepultura.

18. Emudeçam os lábios mentirosos que falam coisas más com soberba e desprezo contra o justo.

19. Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual operaste para aqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens!

20. Tu os esconderás, no secreto da tua presença, dos desaforos dos homens; encobri-los-ás em um pavilhão, da contenda das línguas.

21. Bendito seja o SENHOR, pois fez maravilhosa a sua misericórdia para comigo em cidade segura.

22. Pois eu dizia na minha pressa: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste a voz das minhas súplicas, quando eu a ti clamei.

23. Amai ao SENHOR, vós todos que sois seus santos; porque o SENHOR guarda os fiéis e retribui com abundância ao que usa de soberba.

24. Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Escala Espírita - II.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VI - Escala Espírita - Parte II

TERCEIRA ORDEM: ESPÍRITOS IMPERFEITOS

101. Caracteres gerais. Predominância da matéria sobre o espírito. Propensão ao mal. Ignorância, orgulho, egoísmo, e todas as más paixões que lhes seguem. Têm a intuição de Deus, mas não o compreendem.

Nem todos são essencialmente maus; em alguns, há mais leviandade. Uns não fazem o bem, nem o mal; mas pelo simples fato de não fazerem o bem, revelam a sua inferioridade. Outros, pelo contrário, se comprazem no mal e ficam satisfeitos quando encontram ocasião de praticá-lo.

Podem aliar a inteligência à maldade ou à malícia; mas, qualquer que seja o seu desenvolvimento intelectual, suas idéias são pouco elevadas e os seus sentimentos mais ou menos abjetos.

Os seus conhecimentos sobre as coisas do mundo espírita são limitados, e o pouco que sabem a respeito se confunde com as idéias e os preconceitos da vida corpórea. Não podem dar-nos mais do que noções falsas e incompletas daquele mundo; mas o observador atento encontra freqüentemente, nas suas comunicações, mesmo imperfeitas, a confirmação das grandes verdades ensinadas pelos Espíritos superiores.

O caráter desses Espíritos se revela na sua linguagem. Todo Espírito que, nas suas comunicações, trai um pensamento mau, pode ser colocado na terceira ordem; por conseguinte, todo mau pensamento que nos for sugerido provém de um Espírito dessa ordem.

Vêem a felicidade dos bons, e essa visão é para eles um tormento incessante, porque lhes faz provar as angústias da inveja e do ciúme.

Conservam a lembrança e a percepção dos sofrimentos da vida corpórea, e essa impressão é freqüentemente mais penosa que a realidade. Sofrem, portanto, verdadeiramente, pelos males que suportaram e pêlos que acarretaram aos outros; e como sofrem por muito tempo, julgam sofrer para sempre. Deus, para os punir, quer que eles assim pensem.

Podemos dividi-los em cinco classes principais.

102. Décima classe. Espíritos Impuros — São inclinados ao mal e o fazem objeto de suas preocupações. Como Espíritos, dão conselhos pérfidos, insuflam a discórdia e a desconfiança, e usam todos os disfarces, para melhor enganar. Apegam-se às pessoas de caráter bastante fraco para cederem às suas sugestões, a fim de as levar à perda, satisfeitos de poderem retardar o seu adiantamento, ao fazê-las sucumbir ante as provas que sofrem.

Nas manifestações, reconhecem-se esses Espíritos pela linguagem: a trivialidade e a grosseria das expressões, entre os Espíritos como entre os homens, e sempre um índice de inferioridade moral, senão mesmo intelectual. Suas comunicações revelam a baixeza de suas inclinações e, se eles tentam enganar, talando de maneira sensata, não podem sustentar o papel por muito tempo e acabam sempre por trair a sua origem.

Alguns povos os transformaram em divindades malfazejas- outros os designam como demônios, gênios maus, Espíritos do mal.

Quando encarnados, inclinam-se a todos os vícios que as paixões vis e degradantes engendram: a sensualidade, a crueldade, a felonia, a hipocrisia cupidez e a avareza sórdida. Fazem o mal pelo prazer de fazê-lo, no mais das vezes sem motivo, e, por ódio ao bem, quase sempre escolhem suas vitimas entre as pessoas honestas. Constituem verdadeiros flagelos para a humanidade seja qual for a posição que ocupem, e o verniz da civilização não os livra do opróbrio e da ignomínia.

103. Nona classe. Espíritos Levianos - São ignorantes, malignos inconseqüentes e zombeteiros. Metem-se em tudo e a tudo respondem sem se importarem com a verdade. Gostam de causar pequenas contrariedades e pequenas alegrias, de fazer intrigas, de induzir maliciosamente ao erro por meio de mistificações e de espertezas. A esta classe pertencem os Espíritos vulgarmente designados pelos nomes de duendes, diabretes, gnomos, tragos Estão sob a dependência de Espíritos superiores, que deles se servem multas vezes, como fazemos com os criados.

Nas suas comunicações com os homens, a sua linguagem é, muitas vezes espirituosa e alegre, mas quase sempre sem profundidade; apanham as esquisitices e os ridículos humanos, que interpretam de maneira mordaz e satírica. Se tomam nomes supostos, é mais por malícia do que por maldade

104. Oitava classe. Espíritos Pseudo-Sábios - Seus conhecimentos são bastante amplos, mas julgam saber mais do que realmente sabem Tendo realizado alguns progressos em diversos sentidos, sua linguagem tem um caráter sério, que pode iludir quanto à sua capacidade e às suas luzes Mas isso freqüentemente, não é mais do que um reflexo dos preconceitos e das idéias sistemáticas que tiveram na vida terrena. Sua linguagem é uma mistura de algumas verdades com os erros mais absurdos, entre os quais repontam a presunção, o orgulho, a inveja e a teimosia, de que não puderam despir-se

105. Sétima classe. Espíritos Neutros – Nem são bastante bons para fazerem o bem, nem bastante maus para fazerem o mal; tendem tanto para um como para outro, e não se elevam sobre a condição vulgar da humanidade, quer pela moral ou pela inteligência. Apegam-se às coisas deste mundo, saudosos de suas grosseiras alegrias.

106. Sexta classe. Espíritos Batedores e Perturbadores —Estes Espíritos não formam, propriamente falando, uma classe distinta quanto às suas qualidades pessoais, e podem pertencer a todas as classes da terceira ordem. Manifestam freqüentemente sua presença por efeitos sensíveis e físicos, como golpes, movimento e deslocamento anormal de corpos sólidos, agitação do ar etc. Parece que estão mais apegados à matéria do que os outros, sendo os agentes principais das vicissitudes dos elementos do globo, quer pela sua ação sobre o ar, a água, o fogo, os corpos sólidos ou nas entranhas da terra. Reconhece-se que esses fenômenos não são devidos a uma causa fortuita e física, quando têm um caráter intencional e inteligente. Todos os Espíritos podem produzir esses fenômenos, mas os Espíritos elevados os deixam, em geral, a cargo dos Espíritos subalternos, mais aptos para as coisas materiais que para as inteligentes. Quando julgam que as manifestações desse gênero são úteis, servem-se desses espíritos como auxiliares.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.

Continua...

quinta-feira, 12 de julho de 2012

São João Gualberto.


São João Gualberto, foi um religioso beneditino, fundador da Congregação dos Valombrosanos. 

Nasceu numa família de nobres e, quando teve o irmão assassinado, achou por bem se vingar. 

Depois de ter procurado o assassino por um longo tempo, o encontrou numa Sexta-Feira Santa. Mas tocado pela graça, perdoou o inimigo e decidiu se tornar monge. 

Fundou em Vallombrosa um ramo novo da Ordem de São Bento e combateu, pelo exemplo e pela pregação, a decadência do Clero de sua época.

Nasceu em 995, em Tavarnelle Val di Pesa, e faleceu a 12 de julho de 1073.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Medalha de São Bento.

Hoje é dia de São Bento, santo Católico.

A Medalha de São Bento é considerada um objeto sacramental. Um sinal visível da fé do Cristão. E embora seja para proteção, não é considerada como um amuleto. Mas diz-se que a medalha não age sozinha contra as adversidades. É preciso que o Cristão carregue a sua cruz, tomando como exemplo Jesus.

Veja alguns detalhes da Medalha de São Bento:

Na frente da medalha estão gravadas as letras C S P B. Em latim quer dizer "Cruz do Santo Pai Bento".

Na haste vertical da cruz, C S S M L. Quer dizer "A cruz sagrada seja minha luz".

Na haste horizontal, N D S M D. "Não seja o dragão meu guia".

No alto da cruz, a palavra PAX, que significa "Paz". É o lema da Ordem de São Bento.

À partir da direita de PAX estão as iniciais: V R S N S M V. Significa: "Retira-te, satanás, nunca me aconselhes coisas vãs!" e S M Q L I V B: "É mau o que me ofereces, bebe tu mesmo os teus venenos!".

Nas costas da medalha está São Bento, segurando na mão esquerda o livro da Regra que escreveu para os monges e, na outra mão, a cruz. Ao redor do Santo lê-se a seguinte jaculatória ou prece: EIUS - IN - OBITU - NRO - PRAESENTIA - MUNIAMUR - "Sejamos confortados pela presença de São Bento na hora de nossa morte".

É representado também a imagem de um cálice do qual sai uma serpente e um corvo com um pedaço de pão no bico, lembrando as duas tentativas de envenenamento, das quais São Bento saiu, milagrosamente, ileso.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Escala Espírita - I.

Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.


VI - Escala Espírita. (Parte I)

100. Observações preliminares. A classificação dos Espíritos funda-se no seu grau de desenvolvimento, nas qualidades por eles adquiridas e nas imperfeições de que ainda não se livraram. Esta classificação nada tem de absoluta: nenhuma categoria apresenta caráter bem definido, a não ser no conjunto: de um grau a outro, a transição é insensível, pois, nos limites, as diferenças se apagam, como nos reinos da Natureza, nas cores do arco-íris ou ainda nos diferentes períodos da vida humana. Pode-se, portanto, formar um número maior ou menor de classes, de acordo com a maneira por que se considerar o assunto. Acontece nisto como em todos os sistemas de classificação científica: os sistemas podem ser mais ou menos completos, mais ou menos racionais, mais ou menos cômodos para a inteligência; mas, seja como for, nada alteram quanto à substância da Ciência. Os Espíritos, interpelados sobre isto, puderam, pois, variar quanto ao número das categorias, sem maiores conseqüências. Houve quem se apegasse a esta contradição aparente, sem refletir que eles não dão nenhuma importância ao que é puramente convencional. Para eles, o pensamento é tudo: deixam-nos os problemas da forma, da escolha dos termos, das classificações, em uma palavra, dos sistemas.

Ajuntemos ainda esta consideração que jamais se deve perder de vista: entre os Espíritos, como entre os homens, há os que são muito ignorantes, e nunca será demais estarmos prevenidos contra a tendência a crer que eles tudo sabem, por serem Espíritos. Toda classificação exige método, análise e conhecimento aprofundado do assunto. Ora, no mundo dos Espíritos, os que têm conhecimentos limitados são, como os ignorantes deste mundo, incapazes de apreender um conjunto e formular um sistema; eles não conhecem ou não compreendem senão imperfeitamente qualquer classificação; para eles, todos os Espíritos que lhes sejam superiores são da primeira ordem, pois não podem apreciar as suas diferenças de saber, de capacidade e de moralidade, como entre nós faria um homem rude, em relação aos homens ilustrados. E aqueles mesmos que sejam incapazes, podem variar nos detalhes, segundo os seus pontos de vista, sobretudo quando uma divisão nada tem de absoluto. Lineu, Jussieu Tournefort tiveram cada qual o seu método, e a botânica não se alterou por isso. É que eles não inventaram nem as plantas nem os seus caracteres, mas apenas observaram as analogias, segundo as quais formaram os grupos e as classes. Foi assim que procedemos. Nós também não inventamos os Espíritos nem os seus caracteres. Vimos e observamos; julgamos pelas suas palavras e os seus atos, e depois os classificamos pelas semelhanças, baseando-nos nos dados que eles forneceram.

Os Espíritos admitem, geralmente, três categorias principais ou três grandes divisões. Na última, aquela que se encontra na base da escala, estão os Espíritos imperfeitos, caracterizados pela predominância da matéria sobre o espírito e pela propensão ao mal. Os da segunda se caracterizam pela predominância do espírito sobre a matéria e pelo desejo de praticar o bem: são os Espíritos bons. A primeira, enfim, compreende os Espíritos puros, que atingiram o supremo grau de perfeição.

Esta divisão nos parece perfeitamente racional e apresenta caracteres bem definidos; não nos resta senão destacar, por um número suficiente de subdivisões, as nuanças principais do conjunto. Foi o que fizemos, com o concurso dos Espíritos, cujas benevolentes instruções jamais nos faltaram.

Com a ajuda deste quadro, será fácil determinar a ordem e o grau de superioridade ou inferioridade dos Espíritos com os quais podemos entrar em relação e, por conseguinte, o grau de confiança e de estima que eles merecem. Esta é de alguma maneira, a chave da Ciência espírita, pois só ela pode explicar-nos as anomalias que as comunicações apresentam, esclarecendo-nos sobre as irregularidades intelectuais e morais dos Espíritos. Observaremos, entretanto, que os Espíritos não pertencem para sempre e exclusivamente a esta ou aquela classe; o seu progresso se realiza gradualmente, e, como muitas vezes se efetua mais num sentido que noutro, eles podem reunir as características de varias categorias, o que é fácil apreciar por sua linguagem e seus atos.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.


A imagem veio daqui.
Continua...

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Agradecimento de um Curado.

Salmo 30.

1. [Salmo de Davi] Exaltar-te-ei, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim.

2. SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste.

3. SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo.

4. Cantai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade.

5. Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

6. Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais.

7. Tu, SENHOR, pelo teu favor fizeste forte a minha montanha; tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado.

8. A ti, SENHOR, clamei, e ao Senhor supliquei.

9. Que proveito há no meu sangue, quando desço à cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade?

10. Ouve, SENHOR, e tem piedade de mim, SENHOR; sê o meu auxílio.

11. Tornaste o meu pranto em folguedo; desataste o meu pano de saco, e me cingiste de alegria,

12. Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale. SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre.

A imagem veio daqui



domingo, 8 de julho de 2012

Diferentes Ordens de Espíritos.



Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.

V - Diferentes Ordens de Espíritos.

96. Os Espíritos são iguais, ou existe entre eles alguma hierarquia?

— São de diferentes ordens, segundo o grau de perfeição a que tenham chegado.

97. Há um número determinado de ordens ou de graus de perfeição entre os Espíritos?

— É ilimitado o número dessas ordens, pois não há entre elas uma linha de demarcação traçada como barreira, de maneira que se podem multiplicar ou restringir as divisões, à vontade. Não obstante, se considerarmos os caracteres gerais, poderemos reduzi-las a três ordens principais.

Comentário de Kardec: Na primeira ordem, podemos colocar os que já chegaram à perfeição: os Espíritos puros. Na segunda, estão os que chegaram ao meio da escala: o desejo do bem é a sua preocupação. Na terceira, os que estão ainda na base da escala: os Espíritos imperfeitos, que se caracterizam pela ignorância, o desejo do mal e todas as mais paixões que lhes retardam o desenvolvimento.

98. Os Espíritos da segunda ordem só têm o desejo do bem; terão também o poder de o fazer?

— Eles têm esse poder, de acordo com o grau de sua perfeição: uns possuem a ciência; outros, a sabedoria e a bondade. Todos, entretanto, ainda têm provas a sofrer.

99. Os Espíritos da terceira ordem são todos essencialmente maus?

—Não; uns não fazem bem nem. mal; outros, ao contrário, se comprazem no mal e ficam satisfeitos quando encontram ocasião de praticá-lo. Há ainda Espíritos levianos ou estouvados, mais travessos do que malignos, que se comprazem mais na malícia do que na maldade, encontrando prazer em mistificar e causar pequenas contrariedades, das quais se riem.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.

sábado, 7 de julho de 2012

Você Acredita em ET?

No dia de hoje, em 1947, teria caído na cidade de Roswell, nos Estados Unidos, um disco voador. O episódio se tornou um dos maiores mistérios do século 20.

Uma foto com uma suposta autópsia feita num ET (extraterrestre) correu o mundo. Independente se essa foto é verídica ou não, você acredita em ETs?

Para apreciação, deixo abaixo algumas imagens de supostos ETs imaginários ou não.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Santa Maria Goretti.


Hoje é dia de Santa Maria Goretti, a padroeira dos adolescentes. Segue abaixo uma Oração à Santa.

"Heróica e angelical Santa Maria Goretti, nós de joelhos antes de ti, para honrar tua perseverança e coragem e para pedir tua ajuda piedosa.
Ensinai-nos um profundo amor para os preceitos da nossa santa Igreja, ajudar-nos a ver neles a própria voz de nosso Pai no céu.
Possamos nós perseverar sem mancha no nossa batismal manto branco da inocência.
Possamos nós que temos perdido essa inocência, ajoelhar humildemente em santa penitência;
E com a absolvição do sacerdote ter acesso à torrente de fluxo precioso sangue de Cristo em nossas almas e que nos dá coragem para levar a luz do amor de Deus através das perigosas estradas desta vida até Cristo, nosso Rei que irá chamar-nos para os tribunais dos Céus."

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Hino à Deus Rei.


Salmo 29

1.     Atribuam ao Senhor, ó seres celestiais, atribuam ao Senhor glória e força.

2.     Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário.
3.     A voz do Senhor ressoa sobre as águas; o Deus da glória troveja, o Senhor troveja sobre as muitas águas.
4.     A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa.
5.     A voz do Senhor quebra os cedros; o Senhor despedaça os cedros do Líbano.
6.     Ele faz o Líbano saltar como bezerro, o Siriom como novilho selvagem.
7.     A voz do Senhor corta os céus com raios flamejantes.
8.     A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.
9.     A voz do Senhor retorce os carvalhos e despe as florestas. E no seu templo todos clamam: "Glória!"
10. Senhor a assentou-se soberano sobre o dilúvio; o Senhor reina soberano para sempre.
11. Senhor dá força ao seu povo; o Senhor dá a seu povo a bênção da paz.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Perispírito


Do Livro dos Espíritos: Livro II : Mundo Espírita ou dos Espíritos - Capítulo 1 – Dos Espíritos.

IV - Perispírito

93. O Espírito propriamente dito vive a descoberto ou, como pretendem alguns, envolvidos por alguma substância?
 — O Espírito é envolvido por uma substância que é vaporosa para ti, mas ainda bastante grosseira para nós; suficientemente vaporosa, entretanto, para que ele possa elevar-se na atmosfera e transportar-se para onde quiser.

Comentário de Kardec:  Como a semente de um fruto é envolvida pelo perisperma o Espírito propriamente dito é revestido de um envoltório que, por comparação, se pode chamar períspirito.

 94. De onde tira o Espírito o seu envoltório semimaterial?
 — Do fluído universal de cada globo. É por isso que ele não é o mesmo em todos os mundos; passando de um mundo para outro, o Espírito muda de envoltório, como mudais de roupa.

 94. a) Dessa maneira, quando os Espíritos de mundos superiores vêm até nós, tomam um períspirito mais grosseiro?
 — É necessário que eles se revistam da vossa matéria, como já dissemos.

 95. O envoltório semimaterial do Espírito tem formas determinadas e pode ser perceptível?
 — Sim, uma forma ao arbítrio do Espírito; e é assim que ele vos aparece algumas vezes, seja nos sonhos, seja no estado de vigília, podendo tomar uma forma visível e mesmo palpável.

Esse é um trecho do Livro dos Espíritos, primeiro Livro da Codificação Espírita feita por Allan Kardec, que  estará sendo postado aos poucos no Blog Agenda Esotérica.


terça-feira, 3 de julho de 2012

São Tomé, o Apóstolo.


São Tomé foi um dos 12 apóstolos escolhidos por Jesus.

Ele pregou o Evangelho em várias partes do Oriente. Dizem até que esteve no Brasil. Morreu a 3 de julho, próximo a Madras, na Índia, onde teria sido martirizado. Seu principal templo fica em Chennai, na Índia, a Basílica de São Tomé.

Segundo a história, o apóstolo teria duvidado da Ressurreição de Jesus  afirmando que precisaria sentir suas chagas antes de se convencer. Daí vem a expressão Tomé, o incrédulo.

E logo disse a Tomé: "Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente". Respondeu-lhe Tomé: "Senhor meu e Deus meu! "
João 20:28

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Dia de São Bernardino.


Bernardino nasceu no dia primeiro de dezembro de 1530, na ilha de Capri, Itália. 

Se formou em filosofia, medicina, direito civil e eclesiástico. Fez carreira administrativa, ocupou cargos importantes, social e politicamente. Chegou a ser prefeito algumas vezes mas abandonou tudo quando ficou doente e teve uma visão de Nossa Senhora carregando o menino Jesus nos braços. Isso aconteceu em 1564. 

A partir desse acontecimento, Bernardino assumiu a vida religiosa e aos 35 anos de idade, foi ordenado padre jesuíta. Tornou-se um grande evangelizador e confessor. Tinha o dom da cura e do conselho. Outros religiosos escreviam para ele solicitando orações. 

Fundou em Lecce um colégio jesuíta, onde exerceu o apostolado por 42 anos. 

No leito de morte, de tão sólida a sua fama de santidade, lhe pediram para ser padroeiro dessa cidade.
Bernardino morreu no dia 2 de julho de 1616, em Lecce. 

Foi beatificado em 1895 e canonizado em 1947.

domingo, 1 de julho de 2012

Julho Wicca.

Julho recebeu esse nome graças a Júlio César, que reorganizou o antes caótico calendário romano, dando-lhe a forma do calendário juliano. 

Esse novo calendário foi implantado no ano 46 a.C., conhecido como o ano da confusão, depois do caos provocado pela troca de calendários. 

O calendário juliano tornou-se o mais usado no Ocidente nos 1600 anos seguintes. Foi substituído nos países católicos pelo calendário gregoriano no ano de 1582. 

A pedra de julho é o rubi. 

Fonte: (Almanaque Wicca – 2012)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...