terça-feira, 30 de novembro de 2010

O Dragão e a Serpente.

Na mitologia dos mais diversos povos e civilizações, os Dragões estão sempre presentes. São animais de grandes dimensões, quase sempre de aspecto reptiliano, parecem lagartos imensos ou até serpentes.

Alguns têm asas, plumas e até poderes mágicos. E o mais importante, um hálito de fogo. São laberedas enormes que saem da sua boca, como um “lança chamas”.

A palavra Dragão vem do grego Drákon e significa “ver claramente”. Drakon era um termo usado na Grécia Antiga para definir grandes serpentes. As serpentes tinham esse poder de nada lhes escapar a atenção.

De acordo com a lenda, o herói grego Cadmo matou um dragão que havia devorado seus soldados. A deusa Atena apareceu no local logo depois e aconselhou Cadmo e extrair os dentes do dragão e depois os enterrar. Os dentes continham um grande poder tanto que, depois de semeados deram origem à gigantes. Esses seres ajudaram Cadmo a fundar a cidade de Tebas.

Na representação de uma Fera Heráldica, geralmente esculpida em brasões de armas ou escudos, o Dragão tem a cabeça de uma serpente com orelhas e língua pontudas. O corpo é de leão coberto de escamas, grandes asas e garras ligadas por membranas no lugar de patas.

Esse animal, mitológico, é o defensor absoluto de tudo que é considerado precioso. A sua força está na cauda que ele projeta em todas as direções. Dragão também significa o próprio universo, o qual ninguém pode dominar completamente.

Final de novembro é uma boa época para invocar seu Dragão Interior solicitando que queime todos os obstáculos na sua vida. E se puder, acenda três velas verdes e mentalize seus obstáculos sendo destruídos.

A imagem veio daqui.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sekhmet e a Cerveja de Romã.

Hoje é dia de festa no Egito para a deusa Solar com cabeça de leão, Sekhmet.

De acordo com o mito, a deusa ficou tão desgostosa e decepcionada com a decadência e a violência da humanidade que resolveu aniquilá-la. A fúria desta deusa se tornou tão intensa que matou milhares de pessoas a ponto do Deus Rá intervir.

Rá, o deus-Sol, havia criado Sekhmet para que ela destruísse quem conspirasse contra ele. Só que a deusa, foi muito além. Queria beber só sangue humano.

Para detê-la, Rá misturou uma grande quantidade de cerveja com suco de romã e ofereceu esta bebida à Sekhmet no lugar de sua bebida “favorita”.

Após beber, a Deusa caiu em um sono profundo e acordou sem sentir mais raiva pela humanidade.

Essa bebida, que deu à Sekhmet o antídoto para sua ira pelos homens da Terra, passou a ser preparada e consumida neste dia honrando a Deusa Solar.

Tempos depois, Sekhmet passou a ser vista como uma deusa pacífica, protetora dos justos.

A imagem veio daqui.

domingo, 28 de novembro de 2010

Hokhmah, Deusa Hebraica.

Hoje é dia da deusa hebraica da Sabedoria e da Verdade, chamada de Hokhmah.

Nas escrituras judaicas, ela aparece como companheira de Jeová, Deus do Antigo Testamento. Hokhmah seria igual a ele em poder e conhecimento.

São diversas as suas representações. Ela pode aparecer velada, iluminada, como uma árvore cheia de frutos ou como uma mulher com muitos dons.

Para os gnósticos, esta deusa é co-criadora dos Anjos e Arcanjos. Seria uma espécie de colaboradora de Deus na Criação. Para os gregos, esta deusa chama-se Sophia. Enquanto que os romanos a chamam de Sapientia. E os cristãos, de Santa Sofia. O equivalente a ela no hinduísmo, chama-se Prajna que significa a personificação do princípio feminino da sabedoria e da inteligência.

Hoje é um bom dia para entrar em sintonia com essa Deusa. Medite sobre a sua verdade interior e sobre a sabedoria necessária para viver.

sábado, 27 de novembro de 2010

Oração Hindu para a Paz.

Hoje no Nepal e na Índia comemora-se a Deusa Mãe do Universo, dividida em três mães hindus: Sarasvati (representada na cor branca), Lakshmi (cor vermelha) e Parvati (cor preta). Durante o dia todo se recitam orações e, ao pôr-so-sol, são feitas procissões com oferendas entregues nos templos.

Entre em sintonia com esta festa milenar recitando uma oração hindu pela paz. A palavra Shanti significa tranqüilidade, cessação, paz. Quando recitada por três vezes, e acrescentando hi ao final, o mantra passa do sentido de paz interior para a paz no sentido universal.


Oração Hindu para a Paz - Om Shanti

“Ó Deus, Conduza-nos do irreal para o real, da escuridão para a Luz, da morte à imortalidade – SHANTI, SHANTI, SHANTI PARA TODOS.
Ó Deus todo Poderoso,
Permita que haja paz nas regiões celestiais, que haja paz na Terra, que as águas sejam acalmadas.
Que as ervas sejam benéficas e que as árvores tragam o nascimento da paz para todos.
Permita que todos sejam SERES BENÉFICOS, brindando Paz e Amor.
Permita que a Lei Universal propague a Paz pelo mundo.
Permita que todas as coisas sejam uma fonte de paz para nós.
Que vossa própria Paz restabeleça a Paz do TODO e que esta mesma PAZ venha a mim .
Que assim seja, assim é, assim é, assim é ! SHANTI, SHANTI, SHANTIhi !

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dia do Portal de Novembro.

O Portal simboliza uma passagem para uma nova fase da vida. Um novo campo de experiência. E atravessá-lo não é simples. Portal não é uma porta como outra qualquer.

É como ascender a outro nível. Ou entrar num mundo de possibilidades ao seu dispor. A internet, por exemplo, está repleta de Portais.

Mas os Portais aos quais estou me referindo, têm um sentindo metafísico. São Portais que permitem a comunicação entre o mundo físico e o extra-físico.

É muito usado em iniciações místicas e de cunho religioso. E geralmente, o iniciado precisa passar por alguma prova antes de atravessá-lo.

Histórias de realismo fantástico e místico fazem uso desse estratagema de ação.

Portal também pode ser aquela área psíquica de nossas vidas pela qual aqueles que estão em outros planos podem entrar em contato conosco, e vice versa.

Num trabalho de magia, por exemplo, Portal pode ser o círculo mágico por onde os participantes podem entrar ou sair sem romper com a vibração daquele momento.

Uma dica para hoje, é eleger um canto na sua casa e transformá-lo em um Portal particular. Acenda um incenso de Alecrim e imagine que do outro lado desse Portal exista um mundo de magia e de conhecimento prontos para serem explorados.

Sempre que precisar de uma inspiração maior, aproxime-se desse cantinho e procure refletir sobre seu assunto. Peça à energia que vibra além desse Portal lhe ajudar a encontrar saídas para as suas questões.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sagitário, o Arqueiro.

O Sol entrou na Constelação de Sagitário no último dia 22. É o nono signo do Zodíaco e também o centro da Via Láctea. Quem nasce sob este signo, busca a harmonia no grupo ao qual pertence. Ama a vida ao ar livre e principalmente a sensação de liberdade. Mostra-se confiante e jovial.

É representado por um centauro, ser mitológico metade homem e metade cavalo.

Tudo começou quando Saturno se apaixonou por Filira, filha de Oceano. Mas como Saturno era casado, para despistar sua mulher, ele se transformava em cavalo na hora dos encontros com Filira. Dessa união, nasceu o centauro Quíron. Mas Filira quando viu o pequeno centauro, o rejeitou e os deuses para puni-la, a transformaram num limoeiro, sem memória e nem consciência, amargando para sempre na Terra. O pequeno Quíron foi recolhido ao Olimpo onde viveu durante muito tempo.

Quando cresceu, Quíron quis entender o universo e começou a ler todos os livros nas bibliotecas do Olimpo. Tornou-se um mestre em todas as artes e passou a transmitir seu conhecimento aos filhos dos deuses e a de outros mortais. Como recompensa, Zeus lhe deu a imortalidade e o transformou também num deus.

Ao ajudar Hércules na batalha contra a Hydra, monstro de muitas cabeças, Quíron levou uma flechada na perna, embebida do sangue venenoso de Hydra. Esse veneno não tira a sua vida, mas lhe causa uma ferida dolorosa e incurável. Durante muito tempo tentou suportar a dor mas acabou implorando aos deuses que lhe tirassem a imortalidade. Os deuses se compadeceram e o transformaram na constelação de Sagitário.

É um signo do elemento fogo, e regido por Júpiter. Sua pedra é a ametista e as suas cores são a púrpura, turquesa e verde mar.

Tudo o que esse sagitário quer são repostas para as suas perguntas. E quando ele as encontra, ou pelo menos se satisfaz com o que encontra, ele se transforma. Deixa a essência animal para viver a espiritual. Se torna pleno e aberto para o mundo.

As duas palavras chaves para este sigino são: e acreditar. Acreditar que para além do horizonte, para onde a vista não alcança, mas a flecha sim, não existem limites.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Festival de Luzes no Egito.

Hoje é dia do Festival de Luzes no Egito. Esse evento é uma homenagem à Ísis e Osíris, marcando o encontro desses dois deuses.

Osíris havia sido morto e seu corpo perdido. Ísis saiu então em busca dele. Quando o encontra e consegue ressuscitá-lo, mas no Mundo das Sombras, a festa acontece no Mundo da Luz.

Ísis é a "mulher vestida de sol" pois ela traz a luz e a vida, assim como o Sol. Mas Ísis é uma deusa lunar. Uma deusa de mistérios. 

Nas representações, geralmente Ísis tem o rosto coberto por um véu impenetrável. E na frente de seu templo em Sais, capital do Antigo Egito, estava escrita a seguinte frase: "sou tudo o que foi, é e será, e nenhum mortal jamais retirou o véu que oculta minha divindade aos olhos humanos".  

Hoje é um bom dia para pedir ajuda a esta Deusa para que o faça ver através do véu das sombras o que os olhos humanos não conseguem enxergar. Se puder, acenda uma vela e mentalize o que precisa encontrar.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Deusa do Monte Fuji e das Cerejeiras.

Hoje é dia de Konohana Sakuya Hime, Deusa das Cerejeiras.

Seu nome quer dizer “Princesa que faz as árvores florescerem”. Filha do Deus das Montanhas e irmã da Deusa das Pedras, Sakuya Hime rege a terra, a natureza, o fogo e as cerimônias.

Conta a mitologia japonesa, que Ninigi, Deus do Mar, se apaixonou pela princesa tendo pedido a sua mão em casamento à seu pai. Este, propôs que se casasse com a filha mais velha, Deusa das Pedras. Mas Ninigi tinha o coração já fixado na Deusa da Terra e por isso não concordou. Mesmo sabendo que ao lado da Princesa, a vida seria como as flores de cerejeira, de período curto e fugaz, ao invés de resistirem ao tempo e serem de longa duração como as pedras.

Sakuya Hime se casou com Ninigi, e em apenas uma noite engravidou. Ninigi desconfiou da fidelidade da eposa, e esta enfurecida, entrou numa cabana sem porta onde em seguida, atearam fogo. Ela prometeu que se seu filho saísse ileso, era porque sua descendência era verdadeira. E assim, na cabana, em meio as chamas, Sakuya Hime deu à luz a três filhos.

Essa história foi descrita no século VIII. Já nos séculos XIV a XVI, Sakuya Hime passou a ser associada ao Monte Fuji, a montanha mais alta do Japão, que na realidade é um vulcão. Era vista como uma heroína pois seus filhos sobreviveram a um castelo em chamas.

Ao mesmo tempo, também era associada à flor de cerejeiras, por ser um símbolo de delicadeza da vida terrena.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Santa Cecília e a Música.

Hoje é dia de Santa Cecília, a padroeira dos músicos. Diz-se que quando estava morrendo, entoou cantos à Deus.

É provável que tenha sido martirizada entre os anos 176 e 180, sob o império de Marco Aurélio. Sua história só foi registrada no século V.

Conta-se que desde a infância, ela era muito religiosa tendo por decisão própria, se afastado dos prazeres da Corte para ser esposa de Cristo, fazendo assim, um voto secreto de virgindade. Os pais, achando que ela mudaria de ideia, marcaram seu casamento com Valeriano, membro da nobreza romana.

Cecília, quando soube da notícia, pediu ajuda ao seu Anjo da Guarda, à Maria e à Deus para que não a deixasse romper com o seu voto de castidade.

Depois de casada, Cecília contou ao marido seu compromisso com Jesus e que para mantê-lo, estava protegida por um Anjo. Comovido, Valeriano prometeu proteger sua pureza mas queria ver o Anjo. Para isso, se converteu no Cristianismo junto com seu irmão Turíbio e depois foram juntos procurar o Papa Urbano. Ao retornar para casa, Valeriano viu Cecília rezando e ao seu lado, viu o Anjo da Guarda.

A notícia da conversão dos dois irmãos e da devoção de Cecília, chegou às autoridades. Os dois foram condenados à morte, assim como Cecília. Primeiro tentaram asfixiá-la com vapores de água, mas em vão. Depois, veio a decapitação. No entanto, mesmo ferida mortalmente, seu corpo ficou ileso. E durante três dias, continuou professando a fé. Como não podia professar palavras, expressou com os dedos seus louvores à Deus, e ainda converteu na fé cristã os soldados pagãos.

Séculos depois, no terreno do palácio onde morava foi construída a Igreja de Santa Cecília.

domingo, 21 de novembro de 2010

Cailleach, a Senhora da Noite.

Essa deusa era uma das mais antigas reverenciadas pelos celtas. Dizia-se que era a Senhora da Noite pois ela trazia o inverno e a geada. Seu aspecto também era um pouco sombrio.

Tanto que na Idade Média foi descrita como a Rainha Negra ou Velha Bruxa. Seu nome acabou sendo sinônimo de mulher velha.

Teve outros nomes conforme as épocas foram passando. Na Irlanda, por exemplo, chamavam-na de Caly Berry. Na Bretanha, de Black Annis. No País de Gales, de Digue.

Na Escócia, ela aparecia com um bastão negro capaz de separar as montanhas, mudar a paisagem, prever o crescimento das ervas e comandar o tempo.

Cailleach regia o Céu e a Terra, o Sol e a Lua, o Tempo e as Estações. Pela lenda, dizia-se que carregava no seu avental pedras que iam caindo por onde passava. As montanhas teriam sido criadas a partir dessas pedras de Cailleach. Acabou ganhando o nome de Mulher de Pedra.

Não existem registros sobre esta deusa. Apenas lendas antigas em lugares que acabaram levando seu nome. E por isso acredita-se até que sua devoção venha de um período pré-celta. Provavelmente de origem indiana tendo sido trazida pelos colonizadores das Ilhas Britânicas.

Mesmo sendo caracterizada como uma fada do mal, Cailleach traz o aspecto de anciã que lhe confere sabedoria.

Ela é guardiã do Portal que leva à parte escura do ano, o inverno. Uma Deusa da Transformação e guardiã da semente, que durante esta estação conserva dentro de si a força essencial da vida.

sábado, 20 de novembro de 2010

As Plêiades Ninfas.

Plêiades é uma pequena constelação composta de sete estrelas. A principal delas chama-se Alcione, cujo nome significa paz.

Astrólogos antigos acreditavam que Alcione era o Sol da Via Láctea. Os Babilônios a chamavam de Pedra Fundamental. Os árabes, de o Centro. E os hindus, de a Mãe.

Para os hindus, as Plêiades alimentam o Deus da Guerra chamado Karttikeya, similar à Marte.

Quanto à aglomeração das estrelas, os Assírios denominavam de Família. Já os gregos, simbolizavam estas sete estrelas através de sete ninfas ou sete irmãs e até de sete pombas da Deusa Afrodite.

Na mitologia grega, as Plêiades eram filhas de Atlas e de Pleione. Um dia, cansadas de serem perseguidas pelo caçador Órion, pediram a Zeus que as transformasse numa constelação.

Foram batizadas de: Alcione, Maia, Mérope, Electra, Taigeta, Astérope e Celoeno.

Jà os índios brasileiros conhecem as estrelas desse conjunto pelo nome de Enxame de Abelhas.

As Plêiades é um dos aglomerados estelares visíveis a olha nu, que situa-se próximo à Constelação de Touro.

A primeira menção desse aglomerado estelar foi feita pelos babilônios há cerca de 4.000 anos. Quando as estrelas apareciam no horizonte pela manhã, coincidia com a chegada da primavera.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Pedra da Gávea e a Esfinge.

A pedra da Gávea é considerada um enigma. Seu formato lembra a famosa esfinge de Gizé, no Egito.

Conhecida também como a Esfinge Brasileira, sempre foi cenário perfeito para os místicos em busca de um lugar sagrado e de fonte de energias.

Mas passado também guarda algumas histórias a respeito desse deste lugar. Discute-se muito que antigos fenícios tenham transformado o lugar em um santuário. Há até uma lenda que diz que o túmulo de um imperador fenício, que morreu há quase três mil anos, está lá dentro.

Nesta pedra existe uma gruta que pode ter sido o lugar onde no passado se realizavam sacrifícios e rituais em nome de Deuses. E atrás da cabeça do imperador existem sete altares: pedras que parecem talhadas e dispostas em semi círculo, um provável lugar sagrado para os supostos antepassados.

A Pedra da Gávea é um monólito de gnaisse com topo de granito de 842 metros acima do nível do mar. É o maior bloco de pedra a beira mar do Planeta.

Sua imponência desperta admiração e ao mesmo tempo mistério. Situa-se num dos extremos do parque da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Sua localização a torna muito exposta às ações do tempo sofrendo com processos erosivos. E também a Pedra da Gávea é um dos poucos lugares que encontramos a orquídea Laelia Lobata.

A imagem 1 veio daqui.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Papoula, a dormideira.

A Papoula é uma planta velha conhecida na história da humanidade. É também chamada de dormideira pois está associada ao sono e aos sonhos. É uma flor de cor brilhante e seu extrato é usado para preparar o ópio.

Os Sumérios tinham a Papoula como uma aliada para afastar problemas. Um chá dessa flor era capaz de levar o problema à Lua e lá ficar até que o efeito do chá passasse. Na Antiguidade, era comum mastigar a flor da Papoula ou macerá-la para obter o sumo. Enquanto que na Mesopotâmia, se fazia infusões contra insônia e constipação. Os Assírios e Babilônios faziam remédios com ela.

O primeiro a descrever seus efeitos medicinais contra diversas enfermidades, foi o filósofo e médico grego Hipócrates. Mas foi Paracelso, famoso médico e alquimista suíço, que fez com que o uso da Papoula se tornasse popular no mundo ocidental. Paracelso elaborou um concentrado de suco de Papoula, o láudano, e difundiu a ideia de que este concentrado tinha o poder de curar doenças e até de rejuvenescer.

Mas foi por volta de 1800 que um cientista alemão, ao isolar os elementos narcóticos do ópio, obteve um cristal alcalóide de efeito muito intenso: a morfina.

O nome científico da Papoula, chama-se Papaver Somniferum, e está relacionado ao sono e ao Deus do Sono, Hypnos. Enquanto que morfina, está ligado a Morfeu, o deus dos sonhos.

São cerca de 100 espécies de Papoula. As originárias de regiões temperadas e subtropicais da Eurásia e do norte da África, extrai-se o ópio. Mas as espécies cultivadas no Brasil, como planta ornamental, não contém ópio.

No horóscopo das flores, aqueles que nasceram entre os dias 6/08 até 28/08, são Papoula. As pessoas que nascem “Papoula” são otimistas, alegres e gostam de disseminar a energia positiva e alto astral por onde quer que passem. Vivem em ritmo de aventura e não se lamentam se algo não sair do jeito que desejavam. Colocam paixão em tudo que fazem e talvez por isso, provoquem um verdadeiro fascínio no sexo oposto.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Chuva de Estrelas, Leônidas.

Periodicamente, a órbita de algum cometa cruza com a órbita da Terra ocasionando um fenômeno conhecido como “chuva de estrelas”.

Esse fenômeno pode ser observado irradiando de um único ponto no céu.

O rastro do cometa é formado por pequenas partículas sólidas, chamadas de meteoróides, ejetadas pelo cometa quando este passa pelo Sol.

A maior chuva ocorrida na História, que se tem notícia, foi no dia 13 de novembro de 1833 e vista do Canadá ao México.

Hoje, da noite do dia 17 para 18 de novembro, é um dos pontos altos para se visualizar a Chuva de Estrelas chamada Leônidas, deixada pelo rastro do cometa Tempel-Tuttle. A viagem desse cometa ao redor do Sol o faz entrar no interior do sistema solar a cada 33 anos. Em outros anos também é possível ver, mas com menor intensidade de “estrelas” por hora.

Esses meteoros são pequeníssimos grãos de poeira. Alguns até menores do que um grão de areia. E tem esse nome, Leônidas, porque ao olharmos para o céu, o fluxo dessas partículas parece se originar da constelação de Leão.

Também existem outras Chuvas de Estrelas anuais: as Persêidas, em agosto; as Oriónidas, em outubro e as Gemínidas, em dezembro.

Mas para ver é preciso fugir das zonas luminosas, como os grandes centros, por exemplo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O Escaravelho, Amuleto.

No Antigo Egito, o Escaravelho funcionava como um Amuleto, objeto que simboliza uma relação muito especial com aquele que o carrega e as forças que ele representa.

Era o símbolo da ressurreição e também do renascimento para as múmias. Estas, eram recobertas por amuletos de Escaravelhos feitos de ouro, bronze, pedra ou faiança com o objetivo de dar imortalidade ao falecido.

Segundo a psicostasia, ou a pesagem das almas, que simboliza o julgamento de Deus depois da morte, o coração do morto era a testemunha moral dele, o julgamento de sua consciência. Era colocado sobre o coração da múmia um amuleto em forma de Escaravelho que o impediria de testemunhar contra o morto: o escaravelho do coração.

O escaravelho representa o ciclo do Sol e ao mesmo tempo, da ressurreição. No símbolo egípcio, ele traz entre as patas uma bola enorme, que é o Sol.

De acordo com a mitologia, o Escaravelho simbolizava o Deus Kheper e tinha como função mover o Sol.

O nome egípcio do Escaravelho é Kheper e significa ser, chegar a ser, fazer-se, formar ou construir novamente. Bem sugestivo!

A imagem veio daqui.

Ferônia, Deusa do Calor Vital.

Ferônia é uma deusa da mitologia Romana, guardiã do calor vital, do fogo criador e do fogo subterrâneo.

Os santuários erguidos em nome dessa deusa, tinham que ser construídos próximos de sua morada: vulcões e águas termais. Também é tida como Deusa das Fontes, Bosques e Florestas que circundam esses lugares típicos de energia quente.

Nas celebrações, as pessoas caminhavam descalças sobre as brasas incandescentes de uma grande fogueira feita com pinheiros. O objetivo consistia em se purificar e alcançar a cura de alguma doença. E o faziam diante das preces dos sacerdotes.

Depois, ofereciam-se frutas à Deusa colocando-as em volta das fogueiras em sinal de agradecimento.

Entre os seus devotos, além dos iniciados, estava o povo humilde dos campos.

O nome Ferônia significa levar, trazer, gerar, produzir.

Hoje é um bom dia para magnetizar uma planta vibrando amorosamente, com suas mãos impostas sobre ela, e depois oferecê-la a alguém. A simbologia deste ato está em colher mais tarde o que se plantar agora.

A imagem veio daqui.

domingo, 14 de novembro de 2010

Sedna, a Deusa Planeta.

Nesta data, 14 de novembro, foi descoberto o décimo planeta do Sistema Solar. Encontrado além da órbita de Plutão, foi batizado com o nome de uma das principais deusas Inuit, da mitologia dos esquimós do Ártico, Sedna.

O Planeta Sedna, apesar de ter sido descoberto no ano 2003, só se tornou público em 15 de março de 2004. Ele é menor que a Lua e tem um diâmetro de 2 mil kilômetros. Fica numa região do espaço conhecida como Cinturão de Kuiper. É uma das regiões mais frias do cosmos.

Conta a lenda que a jovem Sedna morava em companhia de seu pai, um pescador. E apesar de ser muito cortejada, não se interessava por ninguém. Mas um dia uma gaivota com poderes mágicos a enfeitiçou e prometeu à seu pai que lhe daria uma vida de princesa. No entanto, ela foi forçada a viver num mundo de sujeira e miséria, além de ser tratada como uma escrava.

Tempos depois, seu pai fora lhe visitar e ficou chocado com o que viu. Imediatamente resgatou sua filha fugindo com ela para o mar. Os pássaros os perseguiram e atacaram o barco. Desesperado, pois não queria que os pássaros levassem sua filha, o pai jogou-a no mar enquanto tentava espantar as aves.

Mas Sedna não resistiu ao frio e morreu afogada. Seu corpo submergiu e alcançou as profundezas dos mares, na terra de Adlivum, submundo dos esquimós. Sua beleza encantou as almas e os seres marinhos que acabaram transformando-a em Senhora dos Mistérios.

O culto à deusa Sedna rompeu fronteiras. Chegou à Groelândia e ao Alasca, pelo que se sabe. Ela rege as águas profundas dos mares e tem o domínio sobre a vida e a morte desempenhando o papel de protetora dos pescadores e dos navegantes.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sábado, 13 de novembro de 2010

Nossa Senhora de Garabandal.

Hoje em São Sebastião de Garabandal, norte da Espanha, é celebrado o dia da última aparição de Nossa Senhora de Garabandal. A Virgem Santíssima, teria aparecido à quatro crianças de 11 e 12 anos de idade no início da década de 60 do século passado.

Na primeira aparição, elas teriam visto um anjo. E dias depois, Nossa Senhora.

A Mãe Cósmica, que passou a ser uma de suas denominações, teria passado um Aviso às crianças. Teria dito que um acontecimento se daria no céu. E não seria de causas naturais, mas sobrenaturais. Também não seria um cometa, nem asteróide e nem algum fenômeno natural.

O objetivo desse acontecimento é chamar atenção de todas as pessoas e para acordar aquelas que estiverem dormindo. A Virgem também teria dito que este acontecimento começava pela letra A.

E segundo ela, não seria o fim do mundo. O fim do mundo não é para essa geração, nem para a próxima, nem para a seguinte, mas apenas para daqui a alguns séculos, disse. Assim como o Anticristo, que nasceria só daqui a alguns séculos também.

As crianças sabiam quando as visões estavam para acontecer. Três luzes muito fortes apareciam para elas. Após a terceira, elas corriam para o lugar onde se dera a primeira visão. Ficavam numa espécie de transe extático. Não se importavam se estavam ajoelhadas nas rochas ásperas e pontiagudas ou transpirando muito. Ficavam insensíveis à espetadas de alfinetes, queimaduras com fósforos e contatos físicos.

As pupilas dos olhos ficavam dilatadas. E quando a visão acontecia à noite, os holofotes centrados sobre o rosto das meninas não provocava nenhum efeito nas pupilas.

Esta devoção, não é reconhecida pela Igreja. Alguns bispos chegaram a pesquisar esta história mas a conclusão que tiraram foi de que não havia milagre nenhum. Muito menos aparições ou avisos.

No entanto, as pessoas que presenciaram os momentos em que as crianças estariam vislumbrando A Virgem, não tiveram dúvidas. Elas estariam mesmo em comunhão com a Virgem.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Diálogos com o Universo.

Preste atenção nestas quatro constatações que os sábios chineses dos tempos antigos fizeram:

Primeira: "O céu e a terra são infinitos e logo inacabados."

Segunda:
"O ser humano se encontra na junção destas duas grandes forças, ele pode então fazer o papel de mediador."

Terceira: "Ele pode por um trabalho sobre ele mesmo integrar as duas energias e graças a elas, se tornar íntegro."

Quarta: "A mulher e o homem tornados íntegros, por um esforço consciente e um conhecimento íntimo do funcionamento do universo, podem ajudar os seres e os conduzir a sua perfeição."

Reconhecer a verdade nestas constatações é tornar-se consciente do papel do homem no Universo e aplicá-lo tanto quanto seja necessário. Afinal, o homem é um holograma do Universo, ele faz parte do Todo. E a ciência, que estuda a relação entre os dois, chama-se Holismo.

Da mesma forma que cada parte do nosso corpo, como um fio de cabelo ou um uma gota de sangue contém todas as nossas informações genéticas, o Universo também está contido na vida que nele reside.

A partir de amanhã, acontece em Curitiba, um Evento intitulado Diálogos com o Universo. Palestrantes nacionais e internacionais vão falar sobre a origem da vida, reflexões sobre a paz, magias, linguagem dos deuses, a espiritualidade no futuro da humanidade dentre outros temas. Os contatos para este evento, que dura três dias, são:

Tel: 41 3324-0805 e 3324-1003. E-mail: npubrasil@gmail.com e o Site: www.npubrasil.com.br

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A Reencarnação e o Ser.

A Reencarnação é um conceito impregnado de fé e misticismo. Nele, uma porção do Ser sobrevive à morte do corpo. E é capaz de se ligar sucessivamente a novos corpos em outras possíveis vidas com a finalidade de se auto-aperfeiçoar ou mesmo de anular o seu carma.

Na Antiguidade, esse era um tema comum para os Egípcios. E esse mesmo conceito também marcou algumas religiões orientais como o bramanismo, o hinduísmo, budismo assim como religiões africanas e de povos indígenas.

No século XIX, Allan Kardec publicou o Livro dos Espíritos que deu origem à religião Espírita. Muito embora, Kardec tenha pretendido difundir uma filosofia de vida moral e espiritual, e não criar uma religião. Mas esta filosofia, baseada na reencarnação, vem com a finalidade de expiação e de melhoramento progressivo da Humanidade.

As desigualdades que às vezes nos deparamos e as diferenças que vemos na condição de diversas pessoas, são resultado dos merecimentos ou de culpas de cada um. Correspondem a um justo prêmio ou castigo, que prefiro chamar de aprendizado.

É como se a vida na Terra fosse uma eterna sala de aula. E nós, seus alunos que ora passamos de ano ou somos reprovados. Isso vai depender de como agirmos durante esse período "letivo".

Para quem quiser saber um pouco mais sobre Reencarnação, amanhã acontece no Rio de Janeiro uma palestra intitulada “Marcas de Nascença, uma Comprovação da Reencarnação”. Existem casos pesquisados com muita seriedade, com crianças que lembram de pessoas, lugares e objetos que teriam feito parte de sua vida numa existência anterior.

Os contatos para o evento são: 21 2567 0930 e 2568 9107. Ou pelo e-mail: vitacontinuadeportasabertas@gmail.com

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O Rosário e o Terço.

Tudo teria começado nos mosteiros da Irlanda, lá pelo século IX. Os monges daquela época usavam como oração os 150 salmos de Davi. E os leigos, que na maioria não sabiam ler, rezavam 150 Pais-Nossos, a única oração que conseguiram aprender. Era chamado de “saltério” dos leigos.

Para não se perderem na oração, os devotos usavam uma bolsa de couro com 150 pedrinhas. Mais tarde passaram a usar um cordão com 50 pedacinhos de madeira. Foi daí que surgiu o que hoje chamamos de Terço. Pois esse cordão representava a terça parte da oração.

E foi durante o século XIII que surgiu o costume de se recitar 150 louvores à Maria. Eram breves pensamentos que lembravam as virtudes e glórias de Nossa Senhora. Ficou conhecido como Rosário, que significa “coroa de rosas” pois as contas eram grandes e se assemelhavam a rosas.

Mas pouco tempo depois fez-se uma combinação de “saltérios”. As 150 Ave Marias foram divididas em 15 dezenas com um Pai Nosso no início de cada uma delas. E para cada dezena existiria um episódio da vida de Jesus ou de Maria para se fazer uma meditação.

O Rosário completo tem 170 contas. São 153 ave-marias, 16 Pais-Nossos e um Glória ao Pai, considerando as contas iniciais, fixadas entre as medalhas de Jesus Crucificado e de Nossa Senhora.

Nossa Senhora teria dito, em uma de suas aparições, que quando alguém reza uma Ave Maria, é como se ela recebesse uma rosa. E quando se reza um rosário, lhe é entregue uma coroa de rosas.

A imagem veio daqui.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Crises, de Emmanuel.

"O momento é de prova? Ergue-te e aceita a vida.

Não te queixes, trabalha. Nem te desculpes, ora.

O serviço no bem é paz no esquecimento.

Ante as crises que encontres, faze o melhor que possas.

Nas árvores podadas, Deus multiplica os frutos.

Ama, serve e não temas, Deus agirá por ti."


Essa mensagem seria do espírito desencarnado conhecido com o nome de Emmanuel e psicografada por Chico Xavier. Faz parte do livro “Assim Vencerás”.

Crise é um estado de manifestação aguda ou de agravamento de uma doença. Também é uma manifestação repentina de um sentimento. Ou um estado de incerteza ou de vacilo.

Na mitologia grega, Crises era um venerável sacerdote do Deus Apolo, que tinha uma filha bela e formosa chamada Criseida. Durante a Guerra de Tróia, Agamenon raptou Criseida e a manteve cativa com a ajuda dos Aqueus.

Apenas com as armas de que dispunha, um cajado de culto e uma guirlanda sagrada, Crises procurou Agamenon para ter a filha de volta. Mas foi expulsou de sua presença. Desesperado, rogou à Apolo que castigasse o raptor de sua filha. Apollo se veste de toda a ira possível e assola os Aqueus com uma peste de uma tal forma que Agamenon não teve outra saída. Libertou Criseida. No entanto, tornou cativa sua prima, Briseida, e outra batalha se formou.

Em tempos de crise, não escolha a guerra, escolha a paz, a reflexão, a temperança. Quem foi que disse que ia ser fácil? Viva apenas um dia de cada vez.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Gwynn Ap Nud, Rei das Fadas.

Hoje é o dia de Gwynn Ap Nud, na tradição do País de Gales. Ele é chamado também de Lord das Fadas.

Vive numa montanha chamada “Glastonbury Tor”, no que seria o antigo reino de Avalon, na Inglaterra. Essa montanha tem cerca de 500 metros de altura e no seu topo ainda pode-se ver as ruínas da torre de Saint Michel, do século XII.

Atualmente, é um lugar de peregrinação. Acredita-se que nessa montanha exista uma porta de entrada para o mundo de Avalon pois o nome Tor significa portal, passagem. É também chamada de “Montanha Mágica” e é guardada por seres elementais.

Segundo a lenda, nesse período, início de novembro, Gwynn abre as portas do mundo mágico permitindo que suas fadas saiam e transitem no mundo dos mortais. Elas ficam tão felizes que realizam nossos desejos. É só pedir.

Na cultura celta, ele é o Deus da Caça, o guardião da vida selvagem. É também uma divindade protetora dos limites pois está ligado ao mundo dos seres elementais. Tanto que em rituais mágicos é invocado para proteção.

Gwynn Ap Nud, quer dizer Gwyn, filho de Nudd. E Gwin, significa belo, branco, brilhante, luminoso.

Procure prestar atenção na natureza hoje. Pois uma fada pode lhe aparecer pronta para realizar um desejo seu. Mas é preciso merecê-lo, claro.

domingo, 7 de novembro de 2010

A Ação do Tempo.

É provável que o desejo de medir o tempo tenha começado com o movimento do Sol. Pois este se movia pelo céu e desaparecia abaixo do horizonte, trazendo com ele a escuridão. Mas, horas depois ressurgia de mansinho no lado oposto.

No entanto, o primeiro relógio está associado à Lua. Nossos ancestrais notaram seus movimentos e reconheceram as estações. Começaram a diferenciar a chegada do inverno, da primavera, e outras posições importantes para a caça e mais tarde, para o plantio.

Praticamente todos os símbolos do tempo têm alguma relação com o círculo. Os calendários circulares dos incas, a foice curva ou a representação astrológica do ciclo anual dos planetas.

Os gregos antigos, chamavam o tempo de chronos. Referiam-se a um tempo cronológico, sequencial, que pode ser medido. Chronos também era o Deus do Tempo, na Grécia. Ele era implacável, devorava seus filhos.

Assim como o Deus, a ação do Tempo também é implacável. Nada lhe foge. Ele designa a sucessão de anos, meses, dias, horas, minutos, segundos e suas frações. Mas a noção mais comum do tempo abrange passado, presente e futuro.

Na física, o tempo é usado para medir a velocidade. Enquanto que na meteorologia, tempo é o estado físico das condições atmosféricas num determinado momento e local.

Na Bíblia, o Salmista clama à Deus no Salmo 90: Sim, mil anos ante Teus olhos são como o dia de ontem que passou e como uma vigília noturna!

O tempo humano é finito e o tempo divino, infinito. O tempo divino é a negação do próprio tempo, o ilimitado. A eternidade por excelência.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

sábado, 6 de novembro de 2010

O Egito Antigo.

Os registros que existem sobre o Egito Antigo falam de uma civilização que prosperou por mais de 4 mil anos. E que durante esse tempo, religião e magia se uniram tornando-se uma força poderosa.

Os talismãs, amuletos, figuras e palavras eram combinados com os cânticos, orações e encantamentos para proteger as pessoas de seres e de espíritos perigosos e também para ganhar o favor dos deuses.

A Cruz Ansada, por exemplo, é um dos símbolos egípcios mais conhecidos e usado como talismã. Ele representava a chave do conhecimento dos mistérios e da sabedoria oculta.

Através dos símbolos egípcios pode-se conhecer suas ideias, atitudes e conceitos a respeito da vida, da morte e do sobrenatural. As famosas Pirâmides de Gizé, por exemplo, eram escadarias simbólicas para o Céu, que permitiam ao rei morto ascender da Terra para seu lar celestial na pós-vida.

Nas primeiras dinastias, as pirâmides eram cobertas e escondidas com montes de terra pois simbolizavam o renascimento e a ressurreição. A múmia era equipada para ser enterrada dentro da pirâmide com todos os itens considerados necessários para sua jornada na vida após a morte.

O Antigo Egito também simbolizava a união dos contrários: por um lado a esterilidade do deserto, sob a cor vermelha designando o aspecto saariano do país e por outro lado, a fertilidade do vale, o que se estira ao longo do rio Nilo, fecundante, emprestando-lhe as cores escuras de uma vegetação rica.

Na mitologia egípcia, os Deuses foram Faraós que teriam reinado no período pré-dinástico. Os mitos eram inspirados em histórias reais acontecidas milhares de anos antes de serem criados. Osíris, por exemplo, foi o primeiro faraó divinizado com o passar do tempo. Ele foi um governante que marcou uma época de prosperidade para o Egito e após a sua morte, passou a ser chamado de Rei dos Mortos.

A civilização egípcia se destacou na área de ciências: médica e matemática. Mas também na arquitetura. A construção de suas famosas pirâmides até hoje é um mistério.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.
A imagem 3 veio daqui.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Astrologia Chinesa.

A astrologia Chinesa é um dos conhecimentos mais antigos da humanidade. São mais de quatro mil anos de estudos influenciando a vida de imperadores a camponeses. Trata-se de uma arte que resistiu ao tempo e às diversas dinastias que fizeram a história do povo oriental.

Existem muitas lendas mas a mais divertida é a do Imperador de Jade que governava os Céus e tudo o que neles continham. Um dia ficou a questionar-se sobre a forma e as cores de todas as criaturas existentes na Terra e descobriu que ainda não conhecia os animais.

Pediu então ao seu conselheiro mais leal que escolhesse 12 animais terrestres que considerasse mais interessantes e os trouxesse no dia seguinte às 6 hs da manhã. O conselheiro convidou primeiro o rato e lhe pediu que fizesse o favor de avisar ao seu amigo gato para também estar lá. Depois, convidou pessoalmente o búfalo, o tigre, o coelho, o dragão, a serpente, o cavalo, o carneiro, o macaco, o galo e por último, o cão.

O rato ficou orgulhoso de ter sido o primeiro a receber o convite e foi direto contar ao gato. O gato, também ficou contente mas pela sua fama de preguiçoso, teve medo de não acordar a tempo no dia seguinte então pediu ao amigo que lhe acordasse bem cedo.

Só que durante a noite o rato chegou a conclusão de que se entrasse no Palácio acompanhado do gato, um animal bonito e insinuante, o Imperador poderia nem notá-lo. Decidiu ir sozinho.

Às seis horas da manhã, os animais se apresentaram no Palácio. O Imperador ficou a observar um a um demoradamente. Ao chegar ao fim da fila notou que só tinham 11 animais. O conselheiro, com medo de sofrer uma reprimenda, pediu a um ajudante que fosse até à Terra e trouxesse o primeiro animal que encontrasse pela frente. Ao chegar à Terra, o ajudante viu um porco. Em poucos minutos o 12º animal já estava em frente ao Imperador.

Algum tempo depois, o gato despertou e se deu conta de que havia perdido a hora. Se apressou mas já era tarde. Furioso, pôs-se a correr atrás do rato com a intenção de matá-lo.

Foi assim que começou a famosa guerra entre gato e rato.

A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Religião X Ciência.

Para iluminar seu caminho nas trevas, para adaptar-se à morte, esse animal tão bem adaptado à vida só tem duas luzes: uma se chama religião, a outra se chama ciência.” Essa frase é do astrônomo, já falecido, Carl Sagan.

Religião e Ciência, são dois pólos distintos: norte e sul. Duas forças opostas: positiva e negativa. No entanto, todas as duas provém de uma energia que compreende um mistério milenar: a criação do universo, da vida e do próprio homem.

Em ambas as posições, religião e ciência, não existem vestígios de uma origem primeira. Existem histórias e hipóteses, respectivamente.

O físico Charles Townes, que em 1964 recebeu o Nobel pela criação do raio laser, em entrevista a uma revista, garantiu que ciência e religião não são forças opostas. Para o físico, nenhuma religião que está ancorada no mundo ocidental pode se dar ao luxo de ignorar a ciência. Porém, a ciência também não pode se dar ao luxo de ignorar Deus. Na sua visão, a ciência quer saber o mecanismo de funcionamento do universo, enquanto a religião, seu significado. É como se a ciência mostrasse como funciona e a religião, como chegar lá.

A busca pela verdade está nas três principais fontes do saber: religião, ciência e filosofia. Estes são os recursos de que o homem dispõe para progredir no conhecimento da verdade. E este desejo do saber é inerente à natureza humana.

Quem nunca se perguntou de onde viemos ou para onde vamos?

No século XIX, por exemplo, Helena P. Blavatsky procurou esclarecer a doutrina teosófica num livro intitulado "A Chave para a Teosofia". Usando um diálogo de perguntas e respostas, o livro busca a verdade a respeito dos mistérios do homem, do ciclo da vida, da morte e seu propósito, da predestinação e do livre-arbítrio. Isto é feito com base num estudo de religiões comparadas, filosofia e ciência, mas com total liberdade de pensamento.

Talvez ainda não seja a hora de se saber a verdade. Mas é preciso continuar as buscas por essas respostas pois são elas que contribuem para o desenvolvimento do mundo e do ser humano em todos os sentidos.

Imagem: Lielzo Azambuja.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Aladiah, o Anjo do Perdão.

O Anjo Aladiah é invocado para ajudar no combate às doenças e às maldades. É um Anjo que trabalha para ver o bem triunfar.

É um guardião do bem estar. Transmite equilíbrio, paciência e amor. Ajuda nas curas e no afastamento de algum mal que por ventura tenham lhe feito ou desejado.

Aladiah é da categoria dos Querubins. E o seu príncipe regente é Raziel, guardião dos mistérios e da originalidade. Esse nome em hebraico significa “segredo”. Segundo a história, Raziel teria entregue à Adão, quando este ficou doente, um livro contendo os segredos das ervas medicinais para que ele se curasse.

O seu Salmo é o de número 32. É um Salmo que solicita Ação de Graças pelo perdão das culpas. No Salmo, Deus perdoa os pecados do salmista e lhe restabelece a saúde. O verdadeiro arrependimento aliviou sua alma. O salmista exorta os fiéis a tirar proveito da sua experiência.

Sua carta de tarot é o Papa, o Grande Sacerdote que distribui entre os seres sabedoria espiritual a ele confiada no princípio dos tempos. Simboliza a voz da própria consciência. É uma carta cuja essência é a da não violência. Mas a da usar a sabedoria na sua vida. É como se a pessoa tivesse uma revelação da verdade através de muito pensar, analisar, estudar uma situação. E com essa revelação, ela encontrasse o verdadeiro caminho a seguir.

Deus às vezes nos coloca à prova, não para que soframos, mas para que encontremos o “nosso” caminho. Caso nossas escolhas prejudiquem nossa saúde, se soubermos entendê-las, Deus nos perdoa e nos restabelece a saúde. E ainda nos dá a sabedoria de uma pessoa a quem podemos recorrer nos momentos difíceis.

A melhor hora para pedir ajuda e proteção a este anjo é das 03:00 hs às 03:20 hs. Mas isso não impede que você peça em qualquer outra hora do dia ou da noite.
A imagem 1 veio daqui.
A imagem 2 veio daqui.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Finados, Sinal da Fé.

Hoje é o dia dedicado a todos aqueles que morreram no “sinal da fé”, é o dia dos Finados.

Foi instituído pela Igreja Católica em memória aos fiéis falecidos para que recebam a misericórdia divina e que descansem em paz.

No México também se comemora esse dia com essa intenção.

Mas ao contrário da atmosfera fúnebre das celebrações cristãs, os mexicanos não choram e nem lamentam a “passagem” dos entes queridos. Eles celebram esse dia de forma alegre, divertida e colorida.

Já existe até uma indústria de doces, brinquedos, enfeites, lampiões e decorações com esqueletos e caveiras. À exemplo do Halloween.

E como no Halloween, as crianças mexicanas também fazem parte dessa festa. Elas brincam, comem e se divertem.

Na verdade, o dia de hoje é uma celebração da vida eterna. Aproveite então para fazer uma oração para os entes queridos que não estão mais na terra, mas eternamente em seu coração.

A imagem veio daqui.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dia de Todos os Santos.

O Dia de Todos os Santos foi instituído em homenagem a todos os santos e mártires conhecidos ou não.

Nos primeiros três séculos dessa era, os cristãos sofreram perseguições terríveis, principalmente durante o reinado do imperador Deocleciano. Cristãos, inclusive membros de sua família e servidores de seu palácio foram perseguidos por ele. Somente em 324, com o imperador Constantino, que as perseguições tiveram fim.

O Papa Bonifácio IV, criou o Dia de Todos os Santos no século VII pois o número de mártires e santos era grande e não dava para designar um dia do ano separado para cada um. Mas nessa época, o dia era comemorado dia 13 maio. No século seguinte, o Papa Gregório III mudou essa data para o dia primeiro de novembro. Segundo historiadores, ele queria atrair os “pagãos” que comemoravam o Samahim, festa do início do Ano Novo celta, para a celebração católica.

E por volta do século IX teve início uma brincadeira chamada de “souling”, que quer dizer almejar. Era feita no dia primeiro de novembro, Dia de Todos os Santos, quando os cristãos iam de vila em vila pedindo os “soul cakes”, bolos de alma. Eram quadradinhos de pão com groselha. Por cada “soul cake”, o cristão deveria fazer uma oração para a alma de um parente falecido do dono da casa. Naquela época, acreditava-se que primeiro as almas iam para o limbo por um determinado tempo e que as orações as ajudavam a irem para o Céu mais rápido.

Talvez isso tenha a ver com novembro ser um mês de atmosfera sutil, em que os véus entre os mundos da matéria e do espírito se tornam tênues facilitando a comunicação entre ambos.

Novembro representa uma época de transição entre o velho e o novo. Como é para os celtas, que é o início de um novo ano. O lema desse mês é "purifique-se e prepare-se para novos desafios e mudanças pessoais em sua vida."



A imagem veio daqui.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...