quinta-feira, 7 de julho de 2011

Prece de Cáritas.

A Prece de Cáritas é uma oração bastante conhecida no meio Espírita. Ela foi psicografada na noite de Natal, 25 de dezembro, de 1873 em Bordeaux, na França. A médium W. Krell, uma das mais conhecidas na psicografia daquela época, recebeu essa oração de um espírito chamado Cáritas.

Prece de Cáritas:
Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai a força àquele que passa pela provação, dai a luz àquele que procura a verdade; ponde no coração do homem a compaixão e a caridade!

Deus, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.

Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, e ao órfão o pai!

Senhor, que a Vossa Bondade se estenda sobre tudo o que criastes. Piedade, Senhor, para aquele que vos não conhece, esperança para aquele que sofre. Que a Vossa Bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda a parte, a paz, a esperança, a fé.

Deus! Um raio, uma faísca do Vosso Amor pode abrasar a Terra; deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão.

E um só coração, um só pensamento subirá até Vós, como um grito de reconhecimento e de amor.

Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh Poder!, oh Bondade!, oh Beleza!, oh Perfeição!, e queremos de alguma sorte merecer a Vossa Divina Misericórdia.

Deus, dai-nos a força para ajudar o progresso, a fim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas o espelho onde se refletirá a Vossa Divina e Santa Imagem.

Assim Seja.


3 comentários:

  1. Como servir à Religião Espiritual - Irmã Caridade

    Irmã CÁRITA (Caridade)

    Progresso, apesar de tudo, progresso lento, porém, seguro, pois tudo tem direito à perfeição.

    Sua Terra experimenta nessa época uma crise da qual é fácil prever a saída. O progresso que deve conduzir o homem ao amor perfeito começa pelo amor próprio, amor material, primeiramente, e, espiritualizando-se, santificando-se com o desenvolvimento do ser espiritual, e terminando pelo amor universal!

    É preciso, pois, que as crenças que estão destinadas a dirigir, as crenças que são o mentor da humanidade, sejam cada vez mais puras e de acordo com o progresso que se opera a cada dia.

    É preciso que uma religião ensine as virtudes que ainda não são praticadas, é preciso que ela ensine aos homens a se elevarem mais.

    Nesse século todo de egoísmo, todo consagrado ao bem estar material, é preciso trazer os primeiros princípios da religião espiritual do futuro e tentar apagar a palavra egoísmo, com a palavra devotamento. Eu disse religião, religião espiritual, cujo templo será o pensamento, do qual a verdade e o amor serão os sustentáculos.

    Essa religião tem necessidade de fundadores e de propagadores que deverão dizer aos homens: "Vocês são espíritos e o futuro espiritual os espera!"

    Espíritas, tal é a sua tarefa, mas dizer não basta, é preciso provar. Vocês provarão de duas maneiras: primeiro, pelas suas relações com aqueles que estão de posse dessa vida espiritual, e que, já adiantados, podem dar conselhos sobre sua própria experiência; mas vocês provarão, talvez ainda melhor, pelo trabalho de aperfeiçoamento que efetuarão sobre si mesmos.

    Toda religião, toda crença verdadeira, todo progresso tiveram seus mártires nos primeiros adeptos que fizeram. Hoje, entretanto, a destruição da carne não é mais necessária para afirmar uma convicção. Venho muito simplesmente, ou melhor, nós viemos encaminhá-los suavemente nesse caminho de sacrifício que se efetua, quase sem perceberem, e sem se ocuparem de si, tão grandes devem ser a renúncia e o devotamento. Venho dizer-lhes: "Espíritas, vocês centuplicarão suas forças aperfeiçoando-se, pois servirão de tocha, quando estiverem iluminados".

    Espíritas, compreendam essa palavra do Cristo tão freqüentemente comentada, tão pouco praticada: "Ama o Senhor teu Deus e teu próximo como a ti mesmo!" Sejam unidos, amem-se, e sua bandeira será sempre correta, e verão se arrumar na sombra de suas dobras um exército, exército de trabalhadores e de irmãos!

    Psicografado por Madame Krell em Setembro de 1874. Do livro "Reflexos da Vida Espiritual", M. Krell,1a. Edição, Ed. CELD (2002).

    ResponderExcluir
  2. Vera do sullllllll8 de julho de 2011 13:31

    OLá!
    Li, reli e rezei....
    Bjs

    ResponderExcluir

As 3+ visitadas da última semana